Política

Tião Gomes rechaça citação em delação e também coloca sigilos à disposição da Justiça

05/01/2020


Na imagem, o deputado estadual Tião Gomes



O deputado estadual Tião Gomes (AVANTE) também foi citado em delação premiada no âmbito da Operação Calvário, e tratou de rechaçar, neste domingo (5), por meio de nota, as informações repassadas ao Poder Judiciário envolvendo a ex-secretária de Estado da Administração, Livânia Farias.

 

De acordo com ele, nunca ocorreu qualquer tipo de tratativa ou negociação envolvendo o seu nome para o recebimento de dinheiro ilícito para uso em campanha eleitoral.

 

Confira a nota de Tião Gomes:

“Rechaço com veemência toda e qualquer citação inverídica que aponta recebimento de recursos ilegais por minha pessoa. Estou indignado, mas absolutamente tranquilo que a verdade será restabelecida. Em 40 anos de atuação na vida pública, tendo oito mandatos de deputado, nunca me envolvi em nenhum ato ilícito e meu patrimônio é condizente com minha realidade. Neste momento, coloco-me inteiramente à disposição da Justiça, mesmo sabendo que meu nome não está inserido entre os investigados.

 

Nunca tratei qualquer assunto sobre recursos com o deputado Edmilson Soares e tampouco autorizei que alguém tratasse ou recebesse valores em meu nome.

 

Coloco meu sigilo bancário, telefônico e fiscal à inteira disposição, reafirmando que nossas campanhas foram realizadas dentro da lei e feitas com dinheiro limpo tendo todas as contas aprovadas pela justiça eleitoral. Portanto, nada devemos e nada tememos. Confiamos na Justiça.

 

Tião Gomes

Deputado Estadual”

 

ENTENDA

 

De acordo com trecho da colaboração premiada de Livânia Farias, que se tornou pública neste domingo, a delatora contou ao Poder Judiciário que seis deputados estaduais teriam sido beneficiados pela suposta organização criminosa investigada pela Operação Calvário, por meio do repasse de R$ 1,6 milhão, que teriam sido entregues a Edmilson Soares para serem rateados entre ele, Branco Mendes, Lindolfo Pires, Tião Gomes e Genival Matias. Outro contemplado seria o então deputado Arthur Cunha Lima Filho, o Arthurzinho.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.