menu

Política

13/11/2019


Em João Pessoa, Manuela D’ávila diz que soltura de Lula é ‘estratégica’ e crava: “Não admito que a gente perca o Brasil para meia dúzia de fascistas”

Foto: WSCOM

Por Ângelo Medeiros e Wallyson Costa
Portal WSCOM

A ex-candidata a vice-presidente da República Manuela d’Ávila (PCdoB) afirmou nesta quarta-feira (13), em João Pessoa, que  a libertação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) representa a mais importante vitória das forças de esquerda recentemente.

“Talvez seja a maior vitória que tivemos nos últimos dois anos. É uma vitória estratégica porque ele é o maior militante do nosso campo político, mas não é só por causa disso. É que a prisão do Lula representava um conjunto de outros fatores… Lula nunca foi apenas uma pessoa, ele foi preso por representar um projeto de desenvolvimento”, definiu.

D’ávila disse que o encarceramento do petista foi “a vingança política das elites sobre um homem que representa um projeto”.

Ela destacou a importância de vários atores e militantes que trabalharam nesse período pela liberdade do ex-presidente e pelo fortalecimento do campo político progressista, e atacou os ‘fascistas’ que governam o país.

“Não admito que a gente perca o Brasil para meia dúzia de fascistas que governam o Brasil hoje, não consigo conceber essa ideia, se nos conformamos em falar com nós mesmos, nos conformamos que 6, 10, 15 fascistas governem o Brasil. O povo brasileiro não é isso”, declarou.

Veja:

Lançamento do livro

 Manuela esteve na Capital paraibana para lançar  o seu livro intitulado “Por que Lutamos – Um livro sobre amor e liberdade”. O evento durante esta tarde na Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Segundo Manuela, o livro versa sobre o feminismo através de um olhar amoroso, da acolhida generosa, do entendimento de que este é um assunto de todas as mulheres. “Não pretende ser uma bíblia do feminismo, mas sim, uma conversa, um abraço, um ponto de apoio”, disse.