Brasil & Mundo

Walter Santos: “Ricardo Brennand deixa um legado cultural enorme para Pernambuco e o Nordeste”

25/04/2020


Fundador do Instituto Brennand, Ricardo Brennand morreu aos 92 anos por coronavírus (Web)

Portal WSCOM

O jornalista Walter Santos, articulista do Portal WSCOM e Revista NORDESTE, analisa os efeitos da morte do empresário Ricardo Brennand, na madrugada deste sábado (25), aos 92 anos, vítima do novo coronavírus, em Recife-PE. Segundo o publisher, Brennand deixa um legado empresarial e artístico enorme.

Ricardo Brennand foi o fundador do Instituto Ricardo Brennand, que estava fechado desde o dia 14 de março por causa da pandemia da covid-19. O nome da instituição é em homenagem ao tio homônimo de Ricardo Brennand, pai de Francisco Brennand, de quem ele herdou a paixão pela arte.

Leia abaixo o novo artigo, na íntegra:

Ricardo Brennand: quando o legado artístico-cultural é muito maior do que a aldeia, o tempo e a geografia

Pernambuco passa a conviver a partir deste sábado, 25 de abril, que se vai, com um símbolo a mais na contribuição humana dada à história da terra, por meio do legado deixado pelo filho de natureza incomum de nome Ricardo Brennand e toda a sua inquietude de um artista de padrão universal.

A forma da partida de Brennand merece reflexão de passagem, porque se dá em meio à muitas restrições por conta da pouca sorte ofertada ao morrer de um vírus fulminante de nome Coronavírus, inibindo o acesso certamente imaginado imenso ao velório restrito, repito, para o último adeus.

Mas nada, absolutamente nada, impede ou contém a imensa história singular de sua vida dedicada às artes, muito além da engenharia que lhe fizera também empresário, para se traduzir no escultor universal com DNA de Pernambuco.

A obra de Brennand, como diz o samba poético, está imortalizada pela imensidão do conceito estético sem igual no Brasil e no mundo, como se fora nosso grande representante do galardão universal ao lado de gente do tamanho de Rodin.

Nunca foi por acaso que o instituto em torno de sua obra fez da Várzea então esquecida no endereço cobiçado por milhões de pessoas a mergulhar na sua dimensão artística singular de um Nordestino com tamanho global sem nunca se afastar dos valores da sua aldeia.

Ricardo Brennand se despede do plano terráqueo para se inserir definitivamente na galeria dos grandes personagens da história ainda assim como orgulho maior de nossa gente com talento sem igual.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.