Policial

Anielle estava viva quando foi deixada em mata de João Pessoa e aspirou lama, aponta perita


10/09/2021

Portal WSCOM

Cristiane Helena Freire, perita e chefe do Núcleo de Medicina e Odontologia Legal do Instituto de Polícia Científica da Paraíba (Numol), confirmou nesta sexta-feira (10) que a menina Anielle Teixeira foi morta por estrangulamento. Ela revelou que a criança estava viva quando foi deixada em uma mata, em Miramar, na capital, e respirou lama.

 

“O corpo foi necropsiado e a gente conseguiu estabelecer a causa do óbito, confirmou a suspeita de estrangulamento, que o acusado tinha confessado, com fraturas. Nas vias aéreas dela foi encontrado lama, quando ela foi estrangulada e jogada nessa área de lama, uma poça d’água, ela ainda estava viva, e conseguiu respirar e aspirou lama”, declarou.

 

Ela relatou que foram coletadas amostras para determinar se houve ou não abuso sexual.

 

“Os exames estão em andamento para estabelecer se houve violência sexual,foram coletados e estão sendo processados, mas até o momento nao podemos falar porque nao temos resutlado concreto”, disse.

 

A perita declarou ainda que há dificuldade na realização dos exames porque o corpo já estava em decomposição.

 

“A questão da criança ter entrado em decomposição atrapalha um pouco. Cai se tentar um novo protocolo, se a gente não conseguir estabelecer primeiramente se houve violência sexual, vai se establecer um novo protocolo, Foram coletadas larvas da cavidade anal e vaginal para saber se ouve a violência”, definiu.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.