Esporte

Notificado pela Fifa em meio a pandemia, Sport acredita em novo prazo por cobrança de dívida de R$ 5,5 milhões

Acionado pelo Sporting, clube tem um débito referente à compra do atacante André e corre o risco de ser punido com até três janelas sem poder inscrever jogadores.

24/03/2020


GE

Notificado pela Fifa em março deste ano, o Sport corre contra o tempo para cumprir com o prazo de 45 dias (até 18 de abril) para quitar uma dívida em R$ 5,5 milhões com o Sporting, de Portugal. O débito é referente à compra do atacante André, adquirido ainda em 2017.

Devido à pandemia do novo Coronavírus, no entanto, que paralisou competições no Brasil, e impacta o futebol a nível mundial (com a suspensão das Eliminatórias para a Copa do Mundo, além do adiamento da Copa América e da Eurocopa ), o Rubro-negro acredita em uma prorrogação da data limite para o pagamento. A visão otimista parte do presidente do Leão, Milton Bivar.

“Não tenho a menor dúvida de que vai acontecer (um adiamento). Não só em relação a Fifa, como tudo. Até porque o mundo está parado. Ninguém está pagando e ninguém está recebendo.”
Procurada pela reportagem, a entidade preferiu não tomar uma posição definitiva. Consultada, posicionou-se por meio de um porta-voz reiterando a mesma fala de quando confirmou a notificação oficial aos clubes, no dia 4 de março.

– Observe que a decisão ainda não é final e obrigatória. De acordo com a prática padrão, entenda que não podemos comentar mais sobre o assunto neste estágio.

Caso não solucione a dívida dentro do prazo estabelecido pela FIFA, o Sport corre o risco de ser punido com até três janelas sem poder inscrever jogadores. Assim, ficaria por um ano e meio sem reforços. Ao fim da data limite, o clube também fica sujeito a sanções como perda de pontos e até mesmo rebaixamento.

Desde que o Sporting acionou o Rubro-negro na FIFA, a diretoria tenta chegar a um acordo com o clube português. Irredutível na negociação, exigindo o pagamento à vista, o Alviverde negou a proposta de parcelamento e também os direitos econômicos do atacante Juninho e do zagueiro Adryelson, que foram oferecidos pelo Sport.

Apesar disso, o Leão segue otimista na tentativa de acertar um acordo através da Confederação Brasileira de Futebol, além de outros meios, diz Milton Bivar.

“Isso está previsto. A gente está trabalhando, acho que vamos conseguir. Não é só via CBF, mas também com colaboradores.”


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.