menu

Política

25/11/2019


Maranhão prevê MDB forte em 2020 e não rechaça Bruno Cunha Lima em CG

Foto: Ângelo Medeiros / Portal WSCOM

Da Redação
Portal WSCOM

 O senador José Maranhão (MDB) revelou nesta segunda-feira (25) que o seu partido já estruturou mais de 50% dos diretórios municipais na Paraíba para as eleições de 2020. Ele pontuou que o objetivo é ter 2/3 dos diretórios atuantes no próximo pleito.

 

 Maranhão evitou cravar o nome do candidato em João Pessoa, mas que nomes já estão sendo apresentados a ele e serão estudados de forma propositiva.

 

 “A etapa agora é de organização estrutural dos diretórios. Já fizemos mais de 50% dos diretórios estaduais e queremos chegar aos 2/3 por aí. Tenho recebidos lideranças de João Pessoa e de outros jovens que querem se filiar do MDB e que tem o propósito de ser candidatos a prefeito de João Pessoa. Queremos fazer isso de uma forma programática. Não vamos antecipar os fatos. Queremos avaliar nomes e vamos ter um candidato que tenha receptividade comprovada”, disse à Correio Fm.

 

 O líder emedebista ainda cravou que o seu partido virá forte para as eleições do próximo ano: “Ninguém perde por esperar, não tenho a menor dúvida que o MDB vai sair forte dessas eleições, pela quantidade de diretórios que já formamos e pelos propósitos que temos em relação as problemáticas da Paraíba”.

 

Nomes especulados

 

 Sem partido desde que saiu do Solidariedade, Bruno Cunha Lima já afirmou que pretende ser candidato à Prefeitura de Campina Grande. Maranhão não rechaçou a possibilidade de Bruno entrar nos quadros do MDB para disputa.

 

 

 “Qualquer um que esteja em condições de se apresentar como candidato poderá ser apoiado pelo partido em Campina Grande, e em último caso, o partido poderá ter um candidato próprio das figuras tradicionais do partido”, pontuou.

Para Guarabira, Raniery Paulino é o nome forte da vez do MDB. O político representa o ‘expoente máximo’ da oposição, disse Zé.

 

 “Raniery é o expoente máximo que a Assembleia Legislativa tem sobretudo no campo da oposição. Pela sua coragem, independência e inteligência privilegiada e pela dignidade que tem se portando sem agredir nem aderir”, considerou.