Justiça

Defesa do Padre Egídio de Carvalho entra com novo pedido de habeas corpus no STJ

O advogado Luciano Santoro, responsável pela defesa do religioso, alega que não há elementos dentro do processo para que o sacerdote siga preso.


06/02/2024

Padre Egídio de Carvalho Neto era diretor do Hospital Padre Zé (Foto: Divulgação/Paróquia Santo Antônio de Lisboa)

Redação/Portal WSCOM

A defesa do Padre Egídio de Carvalho Neto, ex-diretor do Hospital Padre Zé investigado por desviar mais de R$ 140 milhões da instituição, entrou com novo pedido de habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ) na noite desta segunda-feira (5). O recurso, assinado pelos advogados José Rawlinson Ferraz, Luciano de Freitas Santoro, Emanuel Bezerra de Oliveira e Gregório Henrique Torres, busca fazer com que a prisão preventiva do Padre Egídio, detido desde novembro, seja convertida para domiciliar.

O advogado Luciano Santoro, responsável pela defesa do religioso, alega que não há elementos dentro do processo para que o sacerdote siga preso. Santoro defendeu que está havendo uma antecipação de culpa sem que padre Egídio tenha sido julgado.

“Há uma antecipação de pena descabida no caso. Iremos ao STJ porque concordamos com o juiz de primeiro grau quando ele diz que não há risco para o processo e a ordem pública”, declarou Luciano Santoro em entrevista na última sexta-feira (2).

O religioso está detido desde o dia 17 de novembro, após a primeira fase da Operação Indignus, conduzida pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) através do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco).

Os pedidos de habeas corpus do sacerdote já foram recusados em três instâncias distintas. O primeiro, encaminhado ao Supremo Tribunal de Justiça (STJ), foi negado pelo Ministro Teodoro Silva Santos em 28 de novembro de 2023.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.