Nordeste

Consórcio Nordeste diz que índices precisam melhorar para Carnaval acontecer: “As pessoas se acostumaram com os números, mas eles ainda são altos”

Coordenador do Comitê Científico afirmou que realização da festa depende de melhora substancial no próximo mês


07/12/2021

Números da pandemia ainda são altos, segundo o coordenador do Comitê Científico do Consórcio Nordeste, Sergio Rezende (Foto: Manu Dias/GOVBA)

WSCOM com CNN



O coordenador do Comitê Científico do Consórcio Nordeste, Sergio Rezende, avalia que a recomendação contrária às festas de Réveillon e Carnaval na região é “uma medida de precaução” diante do surgimento da variante Ômicron.

Em entrevista à CNN, ele avaliou que “muitas pessoas se acostumaram com os números da pandemia, mas que eles ainda são altos”.

“Estamos há mais de um mês estacionados com números de morte entre 200 e 300 por dia, não podemos arriscar com a vida das pessoas, Réveillon não tem jeito de acontecer”, afirmou, ao citar que a data está “em cima da hora”.

Sobre o Carnaval de 2022, Rezende afirmou: “Carnaval precisaria de melhora substancial nos próximos 30 dias para que confortavelmente possamos não proibir as festividades”.

Sergio Rezende ainda informou que o Nordeste, hoje, equivale a 19% dos números de casos e de mortes por Covid-19 no Brasil – índice que chegou a ser de 35% durante a pandemia.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.