menu

Paraíba

11/03/2013


Júri de Eduardo Paredes adiado novamente

Advogado renuncia

O julgamento do psicólogo Eduardo Paredes, previsto para acontecer na tarde desta terça-feira (12), no Fórum Criminal da Capital, será adiado em virtude do advogado Abrão Beltrão (foto) ter apresentado na tarde desta segunda-feira (11) renúncia de mandado de defesa. A informação foi prestada pelo juiz titular do 2º Tribunal do Juri da Capital, Marcial Henrique Ferraz. “Amanhã, ao abrir a sessão, vou comunicar o fato e adiar o julgamento do caso em questão”, revelou o magistrado.

Eduardo Paredes é acusado de ter provocado a morte da defensora pública Fátima Lopes, após um acidente de trânsito no cruzamento da avenida Epitácio Pessoa com a rua João Domingos, no bairro de Miramar, fato ocorrido no dia 24 de janeiro de 2010. Após o acidente, Eduardo Paredes foi denunciado pelo Ministério Público por homicídio doloso (quando há intenção de matar).

Agora, ante o fato novo (renúncia do mandado de defesa), a Justiça concederá prazo de dez dias a contar desta terça-feira (12) para que seja apresentado um novo advogado para o réu, conforme explicou o juiz Marcial Henrique. “Caso isso não ocorra, a Justiça nomeará um defensor público para o caso”, explicou.

O psicólogo também é réu em outro processo criminal que apura a morte da dona de casa Maria José dos Santos, 56 anos. Ela foi atropelada e morta no mês de junho de 2010, quando atravessava a rua Hilton Souto Maior, no bairro de Mangabeira, em João Pessoa.

Sobre esse segundo caso, o juiz Marcial Henrique Ferraz informou que o processo está em fase inicial, aguardando que a o advogado do réu apresente a defesa do mesmo. Após tal procedimento, o julgamento de Eduardo Paredes será marcado.