menu

Música

01/12/2013


Violoncelista Fred Pot é atração em JP

Festival

 O violoncelista holandês Fred Pot é uma das atrações do I Festival Internacional de Música Clássica, que vai de 1º a 7 de dezembro. Ele faz seis apresentações, em locais diferentes da cidade. O evento foi idealizado pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP), por meio da sua Fundação Cultural (Funjope), e do maestro Laércio Diniz, diretor artístico do festival. A iniciativa conta com o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Ao falar sobre o festival, o holandês espera que a participação seja bem-sucedida, pois o público desfrutará boa música e os mais jovens terão a oportunidade de se interessar por um instrumento. “Ao ser convidado, não pensei duas vezes. Por poder tocar com excelentes músicos de nacionalidades diferentes, que apesar de não falarem o mesmo idioma, podem se comunicar através da música, não encontrei barreiras” adiantou.

No Departamento de Música da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), o músico participa de masterclasses na segunda-feira (2) e na sexta-feira (6), às 10h. Ele também faz quatro concertos na Capital, sendo um na segunda-feira (2), no Centro Cultural São Francisco, dois na Estação Cabo Branco (nas noites de terça (3) e quarta-feira (4), e mais outro no Espaço Gospel, na sexta (6). Todas as apresentações começam às 20h.

Esta é a 20ª vez que o violoncelista vem ao Brasil se apresentar, a terceira em João Pessoa. “Estive aqui de férias e com a Companhia Brasileira de Ópera, apresentando o Barbeiro de Sevilha, em 2010”, destacou Pot.

O músico afirmou ainda que é muito importante para a cidade promover um festival deste porte, a exemplo do que ocorre já em cidades europeias e norte-americanas. “Muitos festivais de fora acontecem em cidades menores, contribuindo para que estas se tornem polos musicais. Na Suíça, cidades como Gstaad, Montreux, Luzern e Verbier e, na França, por exemplo, eles atraem muito público e, com isso, o turismo”, ressaltou.

Uma vida voltada à música – Fred Pot estudou violoncelo com Carel Van Leeuwen Boomkamp, em Utrecht, e Jean Decroos, no Royal Conservatory em Haia (Holanda). Após um período na Radio Philharmonic, ingressou na Royal Concert Gebouw Orchestra de Amsterdã, em 1971, onde atualmente é um dos primeiros violoncelistas e segundo solo-cello. Com esta orquestra, tem participado de turnês por toda Europa, EUA, Japão, Ásia e América Latina. Foi membro da Concertgebouw Piano Quartet, do Dubinsky Piano Trio e do Netherlans Cello Quartet.

Apresentou-se em inúmeros recitais e gravou para vários selos. Foi solista de orquestras alemãs e tocou com a Bohemian Symphony Orchestra, o duplo Concerto e Brahms e o triplo Concerto de Beethoven. Desde 1980 é também professor do Royal Conservatory, em Haia, na Suíça.

O evento – O festival, que acontece de 1º a 7 de dezembro, conta ainda com o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), fortalecendo a política cultural da prefeitura de incluir João Pessoa como referência de qualidade no gênero e no trajeto de importantes artistas.

O evento traz à cidade grandes nomes e expoentes da música erudita em concertos, aulas e palestras. São 22 concertos de música de câmara com os instrumentistas, além de dez masterclasses com professores consagrados em seus instrumentos. O diretor executivo da Funjope, Maurício Burity, explicou que o evento será realizado em diferentes locais ao mesmo tempo. “Os concertos acontecerão na parte da tarde e noite. Os encontros serão realizados pela manhã, em uma excelente oportunidade de troca de experiências com grandes referências da música clássica”, destacou.

Na extensa e variada programação, destacam-se apresentações de artistas e professores como Alberto Johnson (violino, representando Brasil e Holanda), Pamela Kubik (violino, Argentina), Kerstin Kendler (violino, Alemanha), Nathan Olson (violino, Estados Unidos), Igor Bobylev (viola, Ucrânia), Samuel Espinoza (viola, Chile e Brasil), Ana Chamorro (violoncelo, Brasil), Fred Pot (violoncelo, Holanda), Arjan Woudenberg (clarinete, Holanda), Eduardo Olloqui (oboé, Espanha), James Aylward (fagote, Austrália), Barbara Deleu (flauta, Bélgica), Laurens Otto (trompa, Holanda) e Paulo Alvares (piano, Brasil e Alemanha).

Entre os representantes brasileiros da música de câmara de João Pessoa, os destaques são para o Quinteto Uirapuru, Quinteto da Paraíba, Quarteto de Cordas da Paraíba, Quinteto Musarum e Grupo Camena. Ainda entre os eventos de destaque dentro do Festival, estão Raif Dantas (violoncelista paraibano), Paulo Álvares (pianista), Anna Fedorova (pianista ucraniana) e Fabio Zanon (violonista).