Política

Veneziano lamenta falta de ações e de investimentos do Governo para minimizar ef

No Sertão


27/02/2013

{arquivo}Enquanto a seca assola o sertão paraibano, a ausência de ações do Governo do Estado é evidente e gera críticas e insatisfações da população. Esta foi a realidade encontrada por Veneziano Vital do Rêgo (PMDB) nesta terça-feira (26), ao visitar as cidades de Sousa e Cajazeiras, além de municípios próximos, na região do sertão paraibano.

Veneziano lembrou que, enquanto o Governo do Estado destinou, no orçamento deste ano, mais de R$ 30 milhões para propaganda, para as ações de combate aos efeitos da seca foram apenas R$ 650 mil. “Isso mostra o total descompromisso do governo estadual com a região e com os sertanejos, que são os que mais estão sofrendo com esta seca, que já é a maior dos últimos trinta anos”.

No sertão, Veneziano ouviu relatos desesperados de produtores rurais que estão perdendo tudo, sem que haja qualquer iniciativa do Governo do Estado para minimizar o sofrimento na região. “As ações que vimos por aqui são iniciativas do Governo Federal, como as emergenciais, de carros pipa, dos programas sociais do governo, de manutenção de barragens e outras iniciativas”, disse Veneziano.

Ele ficou estarrecido com relatos de produtores que tentaram até o suicídio, ao ver seus rebanhos dizimados. “É inimaginável constatar que mais da metade dos rebanhos já foi dizimada. Isso provoca o êxodo rural, incha as cidades e amplia os problemas sociais”.

Veneziano lembrou que, em Brasília, o Senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) e a Deputada Federal Nilda Gondim (PMDB-PB) tem atuado fortemente em busca de ações federais para combater os efeitos da estiagem prolongada. “O Senador Vital e a Deputada Nilda não apenas verbalizam essa preocupação, através de discursos e de denúncias nas tribunas do Senado e da Câmara, mas atuam também”.

Ele lembrou que no próximo dia 08 Vitalzinho trará à Paraíba o Ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, que ouvirá relatos dos produtores rurais e fará uma visita de inspeção ás obras de transposição de águas do Rio São Francisco, para constatar o grau de paralisação dos trabalhos. “Na qualidade de presidente da Comissão Especial do Senado que acompanha as obras de transposição o Senador Vital tem feito sua parte”.

Veneziano lembrou que a seca é um fenômeno natural, que não acabará. Porém, cabe aos governos garantir ações que proporcionem uma convivência menos traumática com ela. “As consequências da seca muito nos afligem. Temos que tomar providências de convivência. Não podemos acabar com a seca, pois é um fenômeno natural, mas podemos ter uma convivência harmoniosa. Depende muito da operosidade governamental e isso, lamentavelmente, por parte do gestor estadual, não ocorre hoje”.

Em Sousa Veneziano foi recebido pelo prefeito André Gadelha (PMDB), além de outros prefeitos da região, vereadores e lideranças e concedeu entrevista aos jornalistas Levi Dantas e Ivandney Sena, na Líder FM. Depois foi recebido por André e vereadores na Prefeitura, a exemplo de Lafayete Gadelha (PT). Já em Cajazeiras ele foi recebido por diversas lideranças da cidade e região. Dentre elas, o ex-prefeito Carlos Rafael (PTB).

Em Cajazeiras Veneziano falou a Adjamilton Pereira, Jota França e Paulo Feitosa, no Programa Boca Quente, da Rádio Difusora; aos jornalistas Petson Santos, Saul Soares e Alberto Dias, na Rádio Alto Piranhas; ao radialista Jocerlan, da Rádio Oeste e a Kaliel Conrado, no Programa Interview, da TV Diário do Sertão. Ele também foi recebido pelo historiador José Antônio, em sua residência, para debater a política local e a seca.

“Em todos os programas, nas conversas com o povo nas ruas, nos contatos com as lideranças, o assunto principal foi a seca e seus efeitos devastadores, ameaçando vidas, dizimando rebanhos e acabando com a produção. E todas as pessoas reclamaram da total ausência de ações por parte do governo estadual”, afirmou.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
// //