Futebol

Vasco: conheça Ricardo Sá Pinto, o técnico com quem ‘jogador não pode aparecer mais que ele’

14/10/2020


Ricardo Sá Pinto (Getty Images)

ESPN.com.br

Alvo do Vasco para o lugar de Ramon Menezes, que foi demitido na semana passada, o português Ricardo Sá Pinto é conhecido pela personalidade marcante.

Contemporâneo de Figo, Rui Costa e Vítor Baía, o ex-atacante começou a carreira como treinador como auxiliar em 2009 no União de Leiria-POR e foi diretor-técnico do Sporting. Pediu demissão depois de uma briga com Liédson – a mídia portuguesa noticiou que ele trocou socos com o atacante.

Em quase dez anos como treinador, Ricardo Sá Pinto passou por Sporting-POR, Estrela Vermelha-SER, OFI-GRE, Atromitos-GRE, Beleneses, Standard Liege-BEL, Légia Varsóvia-POL e Braga-POR. Conhecido pelo jeito enérgico e muitas vezes explosivo dentro do gramado, o treinador cobra muito seus comandados.

“Se um atleta quiser aparecer mais do que ele, ele vai dar no meio do cara (risos)”, disse Dudu Cearense, que trabalhou com Ricardo Sá Pinto no OFI-GRE na temporada 2013-14, ao ESPN.com.br.

Bastante conhecido na Grécia por ter defendido o Olympiacos – entre 2008 e 2011 – e jogado na seleção brasileira, Dudu se surpreendeu quando recebeu uma mensagem do treinador.

Ricardo Sá Pinto queria tomar café com o meia para conversar antes de começarem o trabalho juntos. O time brigava naquele momento contra o rebaixamento para a segunda divisão.

“Ele me perguntou: ‘Qual a sua intenção aqui, Dudu?’ Eu respondi: ‘A minha intenção é a mesma que a sua: crescer no futebol europeu. Preciso fazer uma grande competição e, com a tua ajuda, irmos para um time mais forte ou fazermos história aqui’”, contou.

Dudu acredita que Ricardo Sá Pinto tem tudo para dar certo no Vasco, desde que os jogadores entendam a mentalidade do treinador e sigam o que ele pede.

“Ele é um cara que cobra demais dos jogadores e é muito perfeccionista (risos). Mas também é muito amigo dos jogadores, desde que você trabalhe sério e seja profissional”, explicou.

“Ele falava: ‘Se vocês derem a vida e se dedicarem ao máximo com o time virando uma unidade mesmo, vocês vão ter muitos privilégios comigo’. Quando a gente vencia uma partida difícil no final de semana, ele mandava a gente voltar só na quarta-feira”, contou Dudu.

O técnico e o meia levaram a pequena equipe ao sexto lugar da Liga Grega e à semifinal da Copa da Grécia.

‘Futebol europeu está avançado’

O único título de expressão de Ricardo Sá Pinto como treinador é a Copa da Bélgica pelo Standard Liège-BEL, clube no qual encerrou a carreira de jogador.

“O Brasil percebeu que, infelizmente, o futebol europeu está muito mais avançado do que o brasileiro. Temos que agradecer por eles estarem trazendo esse tipo de trabalho por aqui. O pessoal precisa aprender com esses caras porque é um futebol, uma cultura e uma forma de viver diferentes”, explicou.

Em seu último trabalho no Braga, ele foi demitido em dezembro de 2019, depois vencer o Paços de Ferreira por 4 a 1, pela Taça da Liga. Depois de sua saída, o time – oitavo colocado na Liga Portuguesa – terminou a competição em terceiro.


Em respeito a Legislação Eleitoral, os comentários estão temporariamente suspensos.