Economia & Negócios

Varejo cresce 6,4% em 2012 e registra a menor expansão em três anos, revela Ser

08/01/2013




São Paulo, 08 de janeiro de 2013 – De acordo com o Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio, o movimento dos consumidores nas lojas em todo o país avançou 2,8% em dezembro/12 contra o mês imediatamente anterior, já descontados os efeitos sazonais. Com este resultado, a atividade varejista encerrou o ano de 2012 com crescimento acumulado de 6,4%, o menor ritmo de expansão dos últimos três anos: em 2010 e em 2011 as altas foram de 9,6% e de 7,8%, respectivamente.

O resultado de 2012 ficou ligeiramente acima do crescimento de 6,1% verificado em 2009, ano em que a economia brasileira passou por um período recessivo durante o seu primeiro semestre, tendo em vista os efeitos da crise financeira internacional a partir de setembro de 2008.

Os segmentos que lideraram a expansão de 6,4% da atividade varejista em 2012 foram o de material de construção e o de móveis, eletroeletrônicos e informática, com altas 7,6% e de 7,7%, respectivamente, no acumulado de 2012. A presença de incentivos fiscais nestes setores foi um forte impulsionador deste desempenho ao longo de 2012, observam os economistas da Serasa Experian.

Também o setor de veículos, motos e peças, que contou com incentivos fiscais durante o ano passado, registrou um bom desempenho com o movimento dos consumidores crescendo 4,7% nas lojas especializadas deste ramo varejista. Cabe notar que o elevado nível de inadimplência no segmento de financiamento de veículos foi um inibidor da evolução deste segmento, impedindo que o seu crescimento em 2012 fosse mais expressivo.

Beneficiado pelo bom momento vivido pelo mercado e trabalho, com taxas historicamente baixas de desemprego e com ampla maioria dos rendimentos corrigidos acima da inflação, o movimento no segmento de supermercados, hipermercados, alimentos e bebidas registrou crescimento de 4,1% em 2012. Aqui, a aceleração da inflação dos alimentos ocorrida no ano passado foi o principal elemento que restringiu uma alta mais significativa da atividade varejista do segmento.

Por fim, os setores que menos cresceram em 2012 foram o de tecidos, vestuário, calçados e acessórios e o de combustíveis e lubrificantes. O fluxo dos consumidores nestes ramos varejistas foi 3,0% e 1,8% maior neste ano de 2012 em relação a 2011, respectivamente.

Nota Metodológica: A fim de garantir maior estabilidade na agregação setorial do Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio, os pesos de cada segmento no indicador agregado final passaram a ser estabelecidos com base no volume de consultas dos últimos 24 meses anteriores ao ano de referência e não mais considerando-se apenas os últimos 12 meses. Para garantir consistência nas comparações históricas, a nova série agregada final foi computada desde 2001, e está disponível no link abaixo.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.