menu

Cinema

16/07/2013


UEPB apoia filme com proposta cdiferente

Produção

A Universidade Estadual da Paraíba apoia mais uma produção audiovisual. Dessa vez é um projeto que traz uma forma não convencional de fazer cinema, valorizando a criatividade do diretor, dos atores e de toda a equipe. Não existe um roteiro rígido, mas uma ideia central moldada aos poucos no momento da gravação de cada cena e na conversa com os membros da equipe ao longo do desenvolvimento do filme. Essa é a proposta do longa “Pingo d´água”, o último da trilogia com o mesmo estilo, em preto e branco, do diretor natural de Campina Grande Taciano Valério Alves. Depois dos já premiados em festivais “Onde Borges tudo Vê”, rodado em Campina Grande, e “Ferrolho”, em Caruaru, é hora de dar forma a “Pingo d´água”. 

Após as gravações em Tiradentes – Minas Gerais e na capital paulista, a equipe chegou a Campina Grande e desde a última segunda-feira, 15, grava em locações na cidade e no Horto Florestal do Campus da UEPB, em Lagoa Seca. Com a direção de fotografia de Breno Cesar, o longa conta com o apoio da Universidade Estadual da Paraíba e do Ponto de Cultura Ypuarana. Algumas cenas foram gravadas no bairro de Bodocongó, privilegiando uma visão panorâmica da cidade.

Dentre os seis atores que fazem parte do elenco do filme, temos Jean-Claude Bernardet e Everaldo Pontes, que fazem os personagens Jana e Eva, companheiros que se encontram e planejam fazer um show performático em Campina Grande. Em meio a conflitos afetivos e de identidade, eles se envolvem e desenrolam várias cenas durante a viagem até uma festa de forró.

Com uma longa carreira, o ator Everaldo Pontes é paraibano de Pilar e reside em João Pessoa. Dentre os vários trabalhos que já fez, destaque para participação no longa “Central do Brasil”, um papel no filme “Abril Despedaçado” e mais recentemente um personagem na minissérie “Gabriela” da Rede Globo de televisão. De acordo com o ator “a gente pode considerar Pingo d´água uma obra aberta onde todos criam e essa criação é concluída com a visão de cada espectador que introduz o seu significa ao filme”.

Jean-Claude Bernadert é francês, mas mora no Brasil há vários anos. Professor, escritor, roteirista e crítico de cinema, aos 77 anos de idade, hoje está em experimentação como ator, fazendo trabalhos que tragam novas propostas para o cinema. “Eu vi o primeiro filme da trilogia de Taciano e fiquei encantado. E quando ele me convidou para participar do projeto aceitei”, disse Jean Claude.

Dentro da proposta do diretor Taciano Valério, os atores recebem instruções sobre a cena na hora de gravar. Os diálogos são improvisados e durante as gravações novos elementos vão surgindo. Os trabalhos da equipe na Paraíba seguem até a próxima quinta-feira, 18, principalmente no Horto Florestal da UEPB, em Lagoa Seca, onde serão gravadas as últimas cenas do longa.

Jean-Claude Bernadet ministra seminário na UEPB

Aproveitando a estada do escritor, professor e crítico de cinema Jean-Claude Bernardet em Campina Grande, haverá um seminário ministrado por ele, a partir das 9 horas da quinta-feira, 18, na Central de Aulas da UEPB, em Bodocongó. Com o tema “O cinema de ontem e o jornalismo de amanhã”, o evento é gratuito.