menu

Paraíba

12/04/2013


TJ realiza campanha de sustentabilidade

TJPB

 Escolhido o slogan da Campanha de Sustentabilidade lançada pelo Tribunal de Justiça da Paraíba: “Sustentabilidade: a Justiça abraça essa ideia”. A ação será apresentada no dia 2 de maio, no auditório do Fórum Cível da Capital. Os organizadores do concurso que escolheu a frase vencedora também se agradaram de uma segunda sugestão de slogan – “TJeco” – e decidiram adotá-lo para nomear o mascote da campanha.

O próximo passo será a apresentação da logomarca e do mascote da campanha. A escolha do slogan e do nome do mascote foi feita pela Comissão de Planejamento Ambiental e Sustentabilidade do TJPB, a partir de 98 sugestões encaminhadas por servidores do Poder Judiciário. Os autores das sugestões escolhidas, Ulisses Figueiredo de Sousa (slogan) e Juliana Cardoso de Luna (mascote), receberão troféus pela criatividade.

O servidor Ulisses Figueiredo é técnico judiciário, lotado na comarca de Patos. Juliana Luna (técnica judiciária) trabalha na Gerência de suporte da diretoria de Tecnologia da Informação do Tribunal, em João Pessoa.

A proposta da Campanha é conscientizar servidores, magistrados e operadores do Direito sobre a necessidade da coleta seletiva do lixo, que será encaminhado para reciclagem. O segundo passo, será por em prática novas diretrizes de sustentabilidade, a exemplo da implantação de um sistema de energia solar nos prédios do Judiciário e a utilização das águas do subsolo.

A campanha focará, no primeiro plano, a coleta de resíduos sólidos na sede do Tribunal de Justiça, Fóruns Cível e Criminal da Capital e nas diversas comarcas da Paraíba.

Uma série de atividades está sendo programadas para viabilizar a campanha. Dentre as ações, uma parceria entre a Emlur (Empresa Municipal de Limpeza Urbana) e o TJPB vai viabilizar um treinamento com os servidores da Fama – empresa terceirizada que trabalha na limpeza das unidades judiciárias.

O presidente da Comissão de Planejamento Ambiental e Sustentabilidade do TJPB, juiz Carlos Eduardo Leite Lisboa, informou que a Emlur vai disponibilizar a equipe de educadoras ambientais, no dia 26 de abril, para dar um treinamento aos servidores responsáveis pela limpeza das unidades judiciárias.

“O curso acontecerá no Auditório Alcides Carneiro, na sede do Tribunal de Justiça. E no lançamento da campanha, nós vamos contar com uma apresentação da Banda de Percussão da Emlur, o Baticumlata”, revelou o magistrado.

O Tribunal de Justiça deverá estender a campanha para outras unidades da Justiça, nas diversas comarcas do Estado, conforme adiantou o juiz Carlos Eduardo Lisboa. Ele acrescentou que, uma vez consolidada a campanha, a ideia será levada aos municípios, ao governo do Estado e a toda sociedade através de parcerias. “O meio ambiente é responsabilidade de todos e a educação para isso é fundamental”, ressaltou.
Outras propostas serão implementadas pela Comissão de Planejamento Ambiental e Sustentabilidade. A primeira delas será a implantação de um projeto de energia solar no prédio do Fórum Criminal. Atualmente, o TJ gasta em torno de R$ 50 mil com energia elétrica, valor que pode ser reduzido para algo em torno de R$ 24 mil com a implantação do consumo de energia solar.

Carlos Eduardo Lisboa finalizou revelando que o judiciário pretende, ainda, centrar esforços no sentido de utilizar as águas do subsolo, para fazer com que o sistema hidráulico dos fóruns e comarcas seja atendido por poços tubulares, o que torna a água mais barata.

“Esse sistema seria bem mais em conta para o Tribunal. Tanto é que o Fórum Cível já tem um poço tubular, o Criminal tem um poço mas está desativado e nós vamos reativar. E o tribunal de Justiça, cujo poço estava desativado há mais de 20 anos, está em estudos para a sua reativação ou a construção de um novo”, arrematou.
Gecom – Valter Nogueira/Eloise Elane