Justiça

Sete testemunhas são ouvidas em primeira audiência do Caso Padre Zé no Fórum Criminal


20/05/2024

Padre Egídio de Carvalho Neto era diretor do Hospital Padre Zé (Foto: Divulgação/Paróquia Santo Antônio de Lisboa)

Da Redação / Portal WSCOM



Sete testemunhas foram ouvidas na manhã desta segunda-feira (20) durante a primeira audiência de instrução do processo envolvendo o padre Egídio de Carvalho e as ex-diretoras do Hospital Padre Zé, Jannyne Dantas e Amanda Duarte. O trio é acusado de participar de um esquema de corrupção que teria desviado R$ 140 milhões desde 2013, conforme investigações do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco).

A audiência ocorreu no Fórum Criminal, no Centro de João Pessoa. Dos sete depoimentos colhidos, cinco foram de testemunhas de defesa e duas de acusação. Além disso, o padre Egídio, que cumpre prisão domiciliar devido a problemas de saúde, participou por videoconferência, enquanto Jannyne Dantas e Amanda Duarte estiveram presentes no local.

Segundo o Gaeco, os desvios comandados pelo padre Egídio teriam sido utilizados para a aquisição de bens pessoais, como garrafas de vinho, imóveis, veículos e obras de arte, itens incompatíveis com a renda do religioso. A investigação aponta que esses recursos foram desviados tanto das verbas públicas quanto das doações destinadas ao Hospital Padre Zé.

Os depoimentos das outras nove testemunhas estão previstos para ocorrer no dia 13 de junho, data marcada para a próxima audiência, também no Fórum Criminal. Esse será o último ato processual antes da sentença.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
// //