Paraíba

Sem receber ajudas, artistas de Cajazeiras pedem esmola


29/03/2013



A cidade denominada de Berço da Cultura Paraibana vem aos poucos perdendo sua identidade cultural pela falta de incentivos governamentais do poder público municipal. A classe artística cajazeirense vem enfraquecendo as forças, e o gosto pelo desenvolvimento da cultura.

O motivo é que, até para apresentar pequenos espetáculos que só têm uma edição anual, artistas chegam ao ponto de serem obrigados a pedir esmolas ou se submeter ao ridículo de “rifar” objetos para não deixar a tradição morrer de vez.

Na tarde desta terça-feira (26), um elenco de artistas de Cajazeiras, Grupo de Teatro Madre Carmelita, que há pelo menos 15 anos apresenta a peça teatral “Paixão de Cristo” foi a uma emissora de rádio local pedir ajuda financeira à comunidade para apresentar a peça na Semana Santa.

O valor necessário para as despesas da encenação seria pouco mais de R$ 500, valor que a prefeitura de Cajazeiras se negou a doar alegando falta de orçamento da secretaria de Cultura do município para tal finalidade.

A negativa por parte da prefeitura de ajudar ao grupo de artistas gerou polêmica entre os radialistas do programa “Boca Quente.” Ouvintes também participaram do debate e repudiaram a atitude do governo do município de não valorizar a falida classe artística da terra do padre Rolim.

Mesmo sem incentivo do governo municipal o grupo vai encenar a Paixão de Cristo, garante os integrantes do grupo de artistas locais.

 



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
// //