Política

Segurança alega falta de efetivo para fechar delegacias, mas 200 esperam nomeaçã

Tenham cuidado

03/12/2013




A edição desta terça-feira, 3, do Diário Oficial do Estado publica portaria assinada pelo delegado geral da Polícia Civil, Carlos Alberto Ferreira da Silva que disciplina o funcionamento das delegacias da região metropolitana de João Pessoa e de algumas delegacias especializadas.

No novo mapeamento somente funcionarão nos plantões – das 18h às 8h de segunda a sexta-feira e finais de semanas e feriados (8h às 8h) as seguintes delegacias 12ª Delegacia Distrital, que funciona no bairro de Manaira e responderá pelos plantões da Zona Norte da Capital e, com isso respondendo pelos plantões das 1ª (Cruz das Armas), 2ª (Centro), 3ª (Epitácio Pessoa) e 10ª (Tambaú) que ficarão fechadas no período noturno.

A Zona Sul da Capital, representada pelos bairros do Ernesto Geisel (4ª DDC), Bairro das Indústrias (8ª DDC) e Valentina Figueiredo (11ª DDC) não terá plantões que ficarão a cargo da 9ª Delegacia, localizada no bairro de Mangabeira.

Para a região de Cabedelo as queixas deverão ser prestadas na 7ª Delegacia Distrital, localizada naquele município, enquanto que as ocorrências nas cidades de Bayeux, Cruz do Espírito Santo e Lucena deverão ser registradas na 6ª Delegacia, localizada em Santa Rita.

A Delegacia de Sapé ficará responsável pelas ocorrências daquela cidade e dos municípios de Sobrado, Riachão do Poço e Mari, enquanto que a Delegacia do município de Conde ficará encarregada de registrar os procedimentos policiais ocorridos tanto no Conde, como também de Alhandra Pitimbu, Caaporã e Pedras de Fogo.

De acordo com a portaria do delegado geral da Polícia Civil, a Delegacia de Mamanguape deverá registrar as ocorrências daquela cidade e também dos municípios de Capim, Mataraca, Rio Tinto, Baia da Traição, Cuité de Mamanguape, Curral de Cima, Marcação, Itapororoca, Jacaraú, Pedro Régis e Lagoa de Dentro.

Em entrevista a algumas emissoras de rádio de João Pessoa o secretário Cláudio Lima justificou a iniciativa devido a excassez no efetivo da Polícia Civil da Paraíba, no entanto, não explicou porque concursados para a Corporação não foram chamados.

O presidente da Associação dos Policiais Civis da Paraíba, agente de investigação Sandro Bezerra, confirmou que o número de agentes de investigação para trabalhar nas delegacias é insuficiente, no entanto, ele lembrou que existem cerca de 200 concursados aprovados em 2010, que já passaram pelo Curso de Formação da Polícia Civil, mas que não foram chamados. O prazo para convocação desse pessoal, revelou, se encerra em 2014.

A justificativa para a nova restrição de delegacias para o registro de ocorrências, principalmente na região metropolitana de João Pessoa, consta da portaria do delegado Carlos Alberto.

Além dos plantões, a portaria também disciplina a escala extra de servidores.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.