Economia & Negócios

Segmentos destacam importância da ‘ressignificação’ do Centro Histórico de João Pessoa e modelo de gestão para o Parque Tecnológico Horizontes da Inovação


23/02/2021

Live “Efeitos da ocupação do Centro Histórico de João Pessoa com o Parque Tecnológico” (Reprodução)

Por Ângelo Medeiros

O Portal WSCOM promoveu debate com especialistas nas áreas de educação, ciência e tecnologia, comunicação e economia e comércio, na noite desta terça-feira (23), por meio de live com o tema “Efeitos da ocupação do Centro Histórico de João Pessoa com o Parque Tecnológico”. A mediação foi do jornalista multimídia e analista político, Walter Santos.

Participaram do debate o secretário de Estado da Educação, Cláudio Furtado; o secretário de Estado Executivo da Ciência e Tecnologia, Rubens Freire; a secretária de Ciência e Tecnologia de João Pessoa, Margareth Diniz; e a presidente eleita da Associação Comercial da Paraíba (Ascom-PB), Melca Farias.

Durante o debate, o secretário Cláudio Furtado detalhou o processo de desapropriação e regularização fundiária do imóvel que abrigou por muitos anos o antigo Colégio Nossa Senhora das Neves, e que abrigará o futuro Parque Tecnológico Horizontes da Inovação, incluindo levantamento dos espaços internos, a recuperação da infraestrutura física e a dotação de equipamentos necessários ao funcionamento do empreendimento.

Ele também relatou a existência de diálogo estatal com diversos setores organizados. “Quando você pensa num ambiente de inovação como um parque tecnológico, ele é centrado em um modelo de tríplice hélice, com a participação de governos, no caso Estado e Prefeitura, que têm feito intervenções na área do Centro Histórico para dar uma ressignificação aquele território e transforma-lo, por meio dessas intervenções, o cenário urbanístico daquela região de João Pessoa”, ponderou.

Ainda de acordo com Claudio Furtado, os diálogos incluem as presenças das universidades públicas e privadas, por meios de laboratórios de pesquisa e desenvolvimento; empresas de inovação, a exemplo das startups e de tecnologia já existentes, que deverão ter ocupações no novo parque tecnológico. “Todas as conversas com esses setores estão ocorrendo para saber como será o melhor modelo de gestão para abrigar empreendimentos inovadores, que estejam alinhados com o marco de ciência e tecnologia recentemente formatado no Brasil, e que essas empresas possam usufruir dessa infraestrutura no Centro Histórico”, conclui.

GOVERNANÇA

O secretário executivo Rubens Freire destacou a ‘convivência harmoniosa e política’ entre Governo do Estado e Prefeitura de João Pessoa, que tem possibilitado diálogos necessários para construção da ideia do empreendimento. Ele destacou a realização de oficinas com envolvimento do ecossistema local para tratar da formatação do parque tecnológico, que envolveu o poder público, a Associação Comercial da Paraíba, entre outros.
“Estamos construindo um grupo de trabalho que está debruçada sobre a questão, colhendo informações nessas oficinas, mantivemos contatos com representações, dirigentes de várias instituições semelhantes. Temos um projeto do ponto de vista arquitetônico de ocupação do espaço físico do Colégio das Neves que está sendo encaminhado pela Secretaria de Infraestrutura. Essas são as ações”, frisou.

Rubens Freire também demonstrou preocupação com a natureza jurídica e a governança do ambiente Parque Tecnológico Horizontes da Inovação. “Essa necessidade é mais do que evidente, e não só se limita ao ambiente Colégio Nossa Senhora das Neves. Temos que pensar como serão os novos marcos legais que regulamentarão o Centro Histórico de João Pessoa. Essa preocupação está no nosso radar”, frisou.

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

A secretária Margareth Diniz afirmou que a chegada do parque tecnológico ao Centro Histórico de João Pessoa vai dinamizar a região pelo escopo do empreendimento. Ela cita ações de ressignificação da região, que já estão planejadas pela Prefeitura da Capital, que incluem a reforma do Hotel Globo, do Conventinho, de praças públicas e melhoria na iluminação pública da região e ações no Rio Sanhauá. Também foram citados investimentos do Governo do Estado, a exemplo de manutenção na Igreja e Centro Cultural São Francisco, no Museu das Artes, no Museu da Cidade, entre outros equipamentos que funcionam no complexo central do município.

“O prefeito Cícero Lucena está empenhado em, junto com o Governo do Estado, ressignificar o Centro Histórico, e isso passa pelo Parque Tecnológico Horizontes de Inovação, um passo histórico que ficará marcado nos governos. Será um ambiente gerador de tecnologias, um espaço que vai reunir o ecossistema de inovação, empreendedorismo e acadêmico. É a chamada tríplice hélice com as participações de governos; indústria, incluindo iniciativas públicas e privadas; e a academia, com perspectivas nacional e internacional, gerando muitas oportunidades que vão dinamizar o Centro Histórico”, defendeu.

Margareth Diniz ainda afirmou que o parque tecnológico abrigará empresas e parceiros que deverão mantém comprometimento em atingir os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (OBS), que incluem a indústria de inovação, a água potável, o uso de energia limpa, entre outras. “Tudo tem a ver com o Parque Tecnológico Horizontes da Inovação e queremos dar a nossa contribuição para dar todos os desdobramentos positivos ao empreendimento no Centro Histórico”, concluiu.

PARCERIA COM A INICIATIVA PRIVADA

Por sua vez, a executiva Melca Farias destacou que as propostas para o parque tecnológico apresentadas pelos secretários estão alinhadas aos pilares de sua proposta de gestão na Associação Comercial da Paraíba, que são a inovação e a ressignificação da própria Ascom-PB, colocando-a no local de protagonista em defesa do setor produtivo e fortalecimento do setor econômico do nosso Estado; e a inovação.

Na oportunidade, ela colocou o comitê de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) da Ascom-PB, que incluem várias empresas, para participar das discussões de formatação do novo Parque Tecnológico Horizontes da Inovação, junto com o Governo do Estado e Prefeitura.

“Essas duas propostas são a bola da vez, que envolve a ressignificação do Centro Histórico, isso é muito oportuno nesse momento. A Associação Comercial conta com empresas de tecnologia associadas atuantes no mercado, que poderão dar uma grande contribuição para essa discussão”, frisou.

REVEJA A LIVE, NA ÍNTEGRA:



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você