Futebol

Seedorf supera drama particular e vira peça fundamental no clássico

no clássico


28/01/2013

Seedorf entrou em campo aos sete minutos da segunda etapa do clássico com o Fluminense e fez sua estreia em 2013. Naquela altura, o Botafogo perdia a partida por 1 a 0 e foi só o camisa 10 se aquecer para levantar o moral da torcida alvinegra, que passou a cantar mais alto e enaltecê-lo. Dentro de campo, ele foi decisivo para o Glorioso empatar em 1 a 1 ao criar a bela jogada que resultou na finalização certeira de Bolívar.

A cada jogada de efeito de Seedorf, os alvinegros iam à loucura. Primeiro em uma invertida de jogo perfeita de perna esquerda, depois em uma pedalada na linha de fundo e em um chute forte de média distância de que passou por cima da trave. Os torcedores já haviam esquecido até de vaiar o técnico Oswaldo de Oliveira, hostilizado no fim da primeira etapa.

Seedorf viveu uma semana difícil antes do clássico e correu o risco de não estar em campo no domingo. O jogador recebeu a notícia de que sua avó havia falecido no Suriname e ficou abalado. Não foi ao treino na terça-feira e também não conseguiu ir ao sepultamento. Na quarta, fez uma atividade sozinho em General Severiano. O problema quase atrasou o planejamento do holandês, que já havia se reapresentado depois dos demais companheiros para o trabalho de pré-temporada.

Depois da partida contra o Flu, Oswaldo elogiou Seedorf mas disse que será preciso ter paciência para que o jogador consiga chegar no melhor de sua condição física.

– O Seedorf é de um astral incrível, tem o poder de transformar o ânimo do time. Está se preparando, temos que respeitar e não ficar ansiosos. Precisa progredir. Ele tem vontade, e às vezes tem mais força no coração do que nas pernas – disse o treinador.

O jogador se mostrou satisfeito com seu desempenho e disse que o gol de empate deixou o resultado mais justo no Engenhão.

– Fico feliz pelo passe para o gol. Foi mais que merecido o empate, era o mínimo.

Na próxima rodada, quarta-feira, às 17h (de Brasília), o Botafogo volta a Moça Bonita, onde empatou em 0 a 0 com o Bangu, para enfrentar o Audax. Oswaldo de Oliveira vai definir nos dois dias de treino antes do jogo sobre a possível utilização de Seedorf na partida.

O Bota permanece na terceira posição do Grupo A da Taça Guanabara, agora com cinco pontos, atrás de Vasco e Friburguense.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.