Esporte

São Paulo enfrenta o Flamengo em jogo de volta válido pela Copa do Brasil; Rogério Ceni tenta quebrar tabu

18/11/2020


Imagem ilustrativa - São Paulo venceu o jogo de ida, no Maracanã

ESPN

Para conseguir sua primeira vitória como técnico do Flamengo e, dependendo do resultado, classificar o time às semifinais da Copa do Brasil, Rogério Ceni terá de quebrar um tabu curioso: desde que aposentou as luvas e iniciou sua trajetória como treinador, o ex-goleiro só venceu no torneio como comandante do São Paulo. Justamente contra seu adversário desta quarta-feira (18), às 21h30, no Morumbi, pelo jogo de volta do duelo.

Foram apenas sete meses liderando o São Paulo em 2017, seu primeiro ano como técnico, e o retrospecto não foi nada bom: 35 partidas e aproveitamento de apenas 50%, com 14 vitórias, 11 empates e 10 derrotas.

Fora da Conmebol Libertadores naquele ano, o Tricolor precisou jogar logo na primeira rodada da Copa do Brasil. E venceu o Moto Club por 1 a 0, gol de Gilberto, hoje no Bahia. Na segunda partida, mais um trunfo: 4 a 2 no PSTC, com direito a hat-trick de Cícero e mais um do peruano Christian Cueva. Pela terceira rodada, já disputada em jogos de ida e volta, vitória no Morumbi sobre o ABC por 3 a 1 (dois gols de Luiz Araújo e um de Lucas Pratto) e empate no Frasqueirão por 1 a 1 (Cueva marcou), o que garantiu o time na quarta rodada.

Na fase seguinte, a eliminação, colocando ainda mais pressão sobre o trabalho de Rogério Ceni. O Cruzeiro venceu no Morumbi por 2 a 0 e se garantiu nas oitavas mesmo perdendo para o São Paulo no Mineirão por 2 a 1 na partida de volta. A Raposa superaria na sequência Chapecoense, Palmeiras, Grêmio, até vencer o Flamengo na disputa de pênaltis e conquistar seu quinto título na competição.

No Fortaleza, Ceni só voltou a disputar a Copa do Brasil no ano passado. E aí começou o tabu. Campeão da Série B em 2018, o Leão pulou direto para as oitavas de final, quando empatou sem gols na ida no Castelão e perdeu para o Athletico-PR na Arena da Baixada por 1 a 0. Mas o treinador teve uma segunda chance naquele mesmo ano. Após aceitar o convite do Cruzeiro, Rogério caiu de paraquedas na segunda partida da semifinal, diante do Internacional. Mano Menezes era o técnico na derrota no jogo de ida, no Mineirão, por 1 a 0. E a Raposa foi presa fácil no Beira-Rio: 3 a 0 e fim do sonho do sétimo caneco. O Colorado seria derrotado na final para o Athletico-PR.

Neste ano, Rogério Ceni novamente disputou a Copa do Brasil por dois clubes. No duelo mais emocionante das oitavas de final, o treinador caiu com o Fortaleza, eliminado nos pênaltis após empate por 5 a 5 no placar agregado do confronto contra o São Paulo. Já como técnico do Flamengo, Ceni estreou justamente no torneio. E novamente com derrota: 2 a 1 para o São Paulo no Maracanã, em partida válida pelas quartas de final.

Com a missão de quebrar a marca negativa dos últimos anos na Copa do Brasil, Rogério Ceni tem pela frente nesta quarta-feira um adversário bastante indigesto desde que se tornou treinador. Em seis partidas realizadas, nunca venceu o São Paulo, time onde se tornou um dos maiores ídolos da história do clube e acumulou recordes e títulos. Um desafio enorme neste início de trajetória como técnico do Flamengo. Sem luvas, só com a camisa social, que vai ficar encharcada novamente.


Em respeito a Legislação Eleitoral, os comentários estão temporariamente suspensos.