Paraíba

Ruan Macário confessa ingestão de bebida alcoólica e remédio e assume atropelamento que causou morte de motoboy


25/11/2022

Redação/Portal WSCOM

O empresário Ruan Ferreira de Oliveira, conhecido como Ruan Macário, confessou, em audiência de instrução realizada de forma virtual na tarde desta quinta-feira (24) no 2º Tribunal do Júri, ter ingerido bebida alcoólica e tomado remédios psicotrópicos na noite em que atropelou o motoboy Kelton Marques, em alta velocidade, no Retão de Manaíra, em João Pessoa.

O acusado assumiu a autoria do crime enquanto era interrogado. Ruan confessou que estava fazendo uso de medicamentos para ansiedade e depressão na época do crime. Ele disse ainda que teria ingerido bebidas alcoólicas após tomar o remédio, o que teria causado um surto, que provocou a direção em alta velocidade.

Durante a audiência, a defesa de Ruan Macário pediu para desqualificar o crime de homicídio doloso (quando há intenção de matar) para culposo (quando não há intenção de matar), alegando que o empresário tinha misturado bebida com remédios, o que teria feito ele perder a consciência após o atropelamento.

Segundo o advogado do motoboy Kelton Marques, a fase de reunir provas está concluída. O próximo passo é aguardar a definição da Justiça para saber se o réu irá a júri popular.

Ruan está preso no Presídio de Catolé do Rocha desde o dia 29 de julho, quando se entregou à polícia após 10 meses foragido.

Lembre o caso

O empresário Ruan Ferreira de Oliveira é acusado de ter atropelado o entregador de delivery, na madrugada do dia 11 de setembro de 2021, em um cruzamento, enquanto dirigia um carro a cerca de 163 km/h ultrapassando sinais de trânsito vermelhos, pela Avenida Governador Flávio Ribeiro Coutinho, no bairro Manaíra, em João Pessoa.

Após a colisão, Ruan fugiu do local, abandonando o veículo que dirigia, com algumas latas de cerveja, porções de entorpecentes e munições, assim como o corpo da vítima, que não resistiu aos ferimentos.

A morte do Kelton Marques, que deixou uma esposa e duas filhas, gerou comoção pública entre a classe de entregadores de delivery e da população, que protestaram pela prisão do suspeito, o qual passou 10 meses foragido após o atropelamento.

Ruan foi preso no dia 29 de julho de 2022, em Catolé do Rocha, no Sertão da Paraíba, após se entregar na delegacia de Polícia Civil da cidade acompanhado de seu advogado e ficar em silêncio durante o depoimento ao delegado.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
// //