menu

Política

25/06/2013


Rodrigo diz que pacto atende a sociedade

Política

A presidente Dilma Rousseff propôs ontem (24) durante reunião emergencial com os governadores dos Estados e prefeitos de capitais pacto de responsabilidade fiscal e estabilidade, aceleração nos gastos com saúde pública, investimentos em mobilidade urbana, destinação dos royalties do pré-sal para investimentos em educação pública,
e a realização de um plebiscito que autorize a convocação de Assembleia Constituinte específica para fazer a reforma política no país. O plebiscito seria um dos cinco pactos propostos pela presidente à classe política para dar respostas aos brasileiros que foram às ruas e protestam por mudanças sociais.

Para o presidente do Partido dos Trabalhadores na Paraíba, Rodrigo Soares, com a iniciativa Dilma Rousseff escuta as vozes das ruas e os anseios da população brasileira.

Na reunião, Dilma declarou que “o Brasil está maduro para avançar e já deixou claro que não quer ficar parado onde está, e reforma política deverá ampliar a participação popular e a cidadania”.

Ao enfatizar um pacto pela saúde, Dilma propôs aos governadores “acelerar os investimentos já contratados em hospitais, unidades de pronto atendimento e unidades básicas de saúde”.

Um salto de qualidade no transporte público é outra parte do pacto proposto por Dilma. Ela disse que vai destinar R$ 50 bilhões para novos investimentos em obras de mobilidade urbana. “Avançar mais rápido em direção ao transporte público de qualidade e acessível, garantiu”.

Dilma concluiu o encontro dizendo que é preciso cuidar da educação. Afirmou que a ampliação de acesso à educação e valorização dos profissionais exige recursos. “Meu governo tem lutado, junto ao Congresso Nacional, para que 100% dos royalties do petróleo e 50% dos recursos do pré-sal sejam investidos na educação”, disse a presidente.

Segundo o presidente do PT paraibano, “com a iniciativa Dilma Rousseff avança no desenvolvimento do país com sustentabilidade, avança na reforma política, haja vista que o atual sistema já não responde aos anseios da população brasileira que deseja eleições mais igualitárias, melhora os investimentos na saúde, educação e mobilidade urbana, priorizando o transporte público, que passa a ser prioridade em todas as esferas dos poderes”.

PACTOS PROPOSTOS PELA PRESIDENTE

1. Responsabilidade fiscal e estabilidade: Todos os entes da federação devem se empenhar em manter a inflação e os gastos sob controle.

2. Plebiscito/corrupção: Defende consulta popular sobre uma Constituinte específica para fazer a reforma política; corrupção seria crime hediondo.

3. Saúde: Presidente pediu que políticos “acelerem” gastos com saúde pública (como UPAs) e defendeu entrada de médicos estrangeiros no País.

4. Transporte público: Afirmou que será ampliada a desoneração de PIS/Cofins sobre diesel, o que auxilia no controle das tarifas; prometeu liberar R$ 50 bi para investimentos em mobilidade e disse que criará o conselho de transporte público.

5. Educação pública: Governo federal pediu votação em regime de urgência constitucional da proposta que destina 100% dos royalties do petróleo e 50% dos royalties do pré-sal para investimentos em educação pública