Política

EXCLUSIVO: Raoni Mendes promete gestão de metas, acha Prefeitura de JP ‘desconectada’ e vê governo Cartaxo como “picolé de chuchu”

08/07/2020


Por Walter Santos

O pré-candidato à Prefeitura de João Pessoa Raoni Mendes (DEM) concedeu entrevista exclusiva ao Portal WSCOM, nesta quarta-feira (8), quando falou sobre a sua base de campanha, os adversários e as metas de uma possível gestão.

Confira a conversa na íntegra:

WSCOM – Como se deram os primeiros passos para em janeiro deste ano ser anunciada candidatura do DEM à prefeitura de João Pessoa? Tem base mesmo?

RAONI – Este é um processo desde 2016 resultando em nossa ascensão na Assembleia Legislativa, alguns contrapontos e problemas, mas sempre mirando na cidade de João Pessoa. Veio o tempo e nos dispomos a colocar nosso nome pelo DEM com acato do partido e do deputado federal Efraim Filho.

WSCOM – Não é pouco ser candidato sem base?
RAONI – Mas nós não estamos sozinhos neste projeto. Ao contrário, são muitos grupos e pessoas totalmente envolvidadas para dar novo rumo à cidade, há tempo sem dialogar com a modernidade.

WSCOM – Qual, então, é a motivação justificável para disputar o principal cargo da cidade?
RAONI – Aí está. Não sou candidato de esquemas concebidos para outros fins e me sinto motivado por muitas pessoas e segmentos a oferecer uma proposta, ou seja, unir as pessoas de Bem para fazer o Bem a João Pessoa como nunca se fez.

WSCOM – Exemplifique a tal modernidade na prática, na atualidade, em nossa Capital?
RAONI – Propomos um programa de metas com ação, responsabilidade e data de entrega do que for prometido. Não pode, ainda hoje, precisar ir na prefeitura para resolver um Boleto do IPTU, por exemplo. Nos tempos atuais isto é um atraso.

WSCOM – Onde, na sua opinião, o governo atual gera problemas à cidade?
RAONI – Vivemos diante de uma gestão tomada de “achismos” sem a adoção efetiva, por exemplo, das muitas plataformas digitais que estão a serviço da sociedade mas a Prefeitura não sabe operar. Neste tempo de pandemia, todos os dados deveriam estar abertos à sociedade mas isto não acontece.

WSCOM – Quais são os maiores problemas na sua opinião?
RAONI – Mobilidade urbana caótica, saúde sofrível e infraestrutura sem uma conexão com as necessidades econômicas e sociais melhor dinamizadas. No caso do transporte, como há prazo de licitação feita para anos, a prefeitura não foi capaz de fazer como fez Curitiba , São Paulo e Espírito Santo subsidiando excepcionalmente o transporte popular e, nos projetos estruturantes, já perdem inúmeros projetos de mobilidade significando a perda de quase R$ 800 milhões por incompetência. Milhões foram devolvidos sem capacidade de apresentar projetos.

WSCOM – Como resolver ?
RAONI – Pondo fim a essa gangorra dos velhos caciques entre eles se revezando sem uma proposta com participação efetiva da sociedade, como estamos fazendo diante da plataforma www.prajpfuncionar.com.br , evidentementente que contando com grupos de trabalhos formados por voluntários com imensa capacidade comprovada de gestão e resultados. O empresário Stelo Queiroga e o professor Fernando Leal bem simbolizam isso.

WSCOM – Como o senhor analisa o perfil da gestão do prefeito Luciano Cartaxo?
RAONI – Com todo respeito à fauna e à flora, é uma gestão “picolé de chuchu”, nem de manga é mais.

WSCOM – Mas tem aprovação em pesquisas?
RAONI – Porque a cidade não conhece a verdade da gestão municipal. Quando souber fará melhor escolha.

Maurilio de Almeida

Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.