Paraíba

Professores da UFPB deflagram greve a partir da próxima segunda-feira em todos os campi


29/05/2024

Da Redação / Portal WSCOM

Os professores da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) decidiram, nesta quarta-feira (29), iniciar uma greve por tempo indeterminado a partir da próxima segunda-feira (3).

Siga o canal do WSCOM no Whatsapp.

A decisão foi  anunciada pela diretoria da ADUFPB, em assembleia realizada no final da tarde desta quarta-feira (29), no Centro de Vivência do campus I, em João Pessoa. Pela manhã, foi realizada uma rodada de assembleias nos campi de Areia e Bananeiras, sobre o mesmo tema, e o resultado final chegou a 167 votos favoráveis, 38 contrários e duas abstenções. A assembleia aprovou a paralisação a partir da próxima segunda-feira (3).

Participaram das reuniões, em todos os campi, um total de 207 professores e professoras, sendo 172 em João Pessoa, 18 em Areia e 17 em Bananeiras. Além da greve, eles aprovaram a realização da primeira reunião do Comando Local de Greve (CLG) às 15h desta segunda, na sede do sindicato, para traçar os encaminhamentos referentes à greve, e também a contraproposta construída pelo Comando Nacional de Greve (CNG) e protocalada no último dia 27. “Hoje, decidimos pela greve; na próxima segunda-feira, aguardamos a nossa categoria para construirmos juntos um comando de greve forte e atuante, pois qualquer docente pode participar”, salientou Cristiano Bonneau, presidente da ADUFPB.

“A ADUFPB sempre respeitou a decisão dos docentes, que haviam decidido, em assembleias anteriores, pelo indicativo de greve sem data. Fizemos todo o possível para que o processo de negociação tivesse outro encaminhamento, mas o governo nos deixou sem perspectiva”, acrescentou o secretário geral da entidade, Fernando Cunha.

Em João Pessoa, a assembleia contou com a participação tanto dos professores do campus I (que atuam nos cursos da unidade central, no Castelo Branco, quanto os da unidade do Centro de Ciências Jurídicas, em Santa Rita), quanto os dos campi IV (Litoral Norte) e V (Centro de Tecnologia e Desenvolvimento Regional, no bairro de Mangabeira). Vários estudantes também assistiram à reunião.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
// //