Política

Presidente do Cidadania em JP defende aliança de João com o PT, mas diz que aproximação com Bolsonaro pode ser benéfica à PB

04/02/2020


Portal WSCOM

 

O presidente do Cidadania em João Pessoa, Bruno Farias, defendeu nesta terça-feira (4) a aproximação do governador João Azevêdo, recém filiado ao partido, com o governo do presidente Jair Bolsonaro. Ele pontuou que a legenda faz oposição ao Governo Federal, mas não de forma radical, e que a prioridade seria uma relação benéfica ao Estado.

 

“As disputas ou diferenças políticas, divergências ideológicas, não podem estar acima dos interesses da Paraíba. E o governador como representante legítimo do nosso povo e o presidente como representante legítimo dos brasileiros, devem ter entendimentos para que recursos cheguem ao nosso Estado e que nós possamos crescer em pé de igualdade com outros estados que tem governos mais alinhados ideologicamente com o presidente da República”, declarou.

 

Bruno lembrou que o Cidadania votou favorável a 90% das medidas governistas no Congresso Nacional e elogiou os dados da gestão de Bolsonaro. No entanto, criticou a postura de ‘guerra cultural’ do presidente.

 

“O Cidadania não faz oposição sistemática ao pais. Medidas que podem ser até encaradas como impopulares, mas necessárias ao equilíbrio fiscal, econômico, recebem o apoio dos nossos parlamentares federais. Agora, faz análise crítica do governo sobretudo quando o governo elege como prioridade a tal guerra cultural. O governo federal quando se concentra em trabalhar em favor do país tem números bastante alvissareiros. São números apresentados que merecem aplausos”, pontuou.

 

Aliança com o PT

 

Farias ainda defendeu a manutenção da aliança do Governo Estadual com o PT no Estado. Ele disse que a postura de Centro do Cidadania permite unir forças com legendas à direita e à esquerda.

 

“Não se faz política afastando, se faz política somando, foi assim que aprendi, é essa escola que me fez o homem público que sou. O PT, apesar das divergências que tenho com algumas política defendidas pelo PT, algum tempo atrás foi parceiro do PPS… acredito que o fato do Cidadania ser um partido assumidamente de Centro, acreditando em uma postura mais liberal da economia mas sendo mais progressista nos costumes, não é obstáculo para possamos celebrar alianças e continuar juntos não apenas com forças mais à esquerda, mas com forças mais à direita”, opinou.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.