Política

Prefeito do Paraná cancela show de Chico César por letra de música e paraibano denuncia prática de censura

Apresentações de Tulipa Ruiz e Nação Zumbi também foram canceladas


04/12/2023

Foto postada pelo cantor Chico César, após receber homenagem de Lula.| (Foto: Reprodução/Instagram Chico César)

WSCOM com Fórum

O prefeito Beto Pagnussatt, filiado ao Patriota, cancelou um evento musical na cidade por causa de uma letra do cantor Chico César, um dos convidados para participar da Virada Cultural de Toledo, no Paraná. A Prefeitura alegou motivos técnicos, mas Chico César usou seu perfil no Instagram para denunciar censura.

“Defensora da liberdade (risos), a extrema-direita brasileira aprontou mais uma. Pressionada por ultraconservadores, a prefeitura de Toledo (PR) resolveu cancelar os shows de Chico César, Tulipa Ruiz e Nação Zumbi que seriam realizados na Virada Cultural da cidade, nos dias 8 a 10 de dezembro. Anticultura e limitado intelectualmente, o vereador extremista Marcelo Marques (Patriota) foi responsável por promover ataques contra os artistas simplesmente por eles serem apoiadores do presidente Luiz Inácio Lula da Silva”, escreveu Chico César na rede social.

O vereador a que se refere o perfil do artista paraibano, Marcelo Marques, do Partido Patriota, foi à tribuna da Câmara Municipal em sessão no dia 28 de novembro, fazer críticas a Secretária de Cultura de Toledo, Rosselane Giordani. Ele fez um discurso lendo trechos da letra da música: “Bolsominions são demônios/Que saíram do inferninho/Direto pro culto/Pra brincar de amigo oculto/Como satã num condomínio”.

Durante seu pronunciamento, Marques parabeniza o prefeito do município, Luis Adalberto Beto Lunitti Pagnussatt, pelo cancelamento das apresentações e afirma que “70% dessa população [de Toledo] votou no Bolsonaro. Isso tem que ser respeitado. Ela [Giordani] está na cidade errada. Não faz o menor sentido essa mulher continuar à frente desta pasta tão importante. Não há justificativa para qualquer trabalho que ela faça vir buscar a desrespeitar a comunidade de toledana dessa forma”.

O vereador Marcelo Marques, em seu discurso, também se referiu à música Pedrinho, de Tulipa Ruiz, para sustentar que o show dela deveria ser cancelado, por desafiar o conservadorismo dos habitantes de Toledo: “Pedrinho parece comigo/Mas bem resolvido com sua nudez/Tirou da cartola uma flor/E me presenteou num domingo de Sol/É meu amigo querido/e até dormiu comigo no mesmo lençol”.

Em 22 de novembro deste ano, em Brasília, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva homenageou Chico César com a Ordem do Rio Branco, o que é apontado como um dos motivos para a decisão do prefeito.

 

 

No segundo turno das eleições de 2022, Jair Bolsonaro teve quase 69% dos votos em Toledo. O Movimento Artístico e Cultural da cidade marcou uma manifestação de protesto para amanhã, às 14h, diante da Câmara Municipal, quando será lido um manifesto contra a decisão da prefeitura. “Não estamos numa ditadura e não aceitaremos censura”, afirmam representantes do Movimento.

Em nota divulgada através do Instagram, a administração afirma que a retirada dos shows da agenda se deve à “impossibilidade de atender as exigências técnicas quanto a estrutura de som e luz de palco, devido ao não cumprimento do contrato por parte da empresa licitada”.

“A empresa licitada pelo Município entrou em fase de dissolução e não cumpriu com as suas obrigações contratuais de atender as especificações técnicas exigidas em shows nacionais, incluindo equipamentos de som e luz que são necessários para a apresentação dos artistas. Assim, diante do problema técnico e da impossibilidade administrativa de buscar outros fornecedores, tomou-se a decisão de cancelar os shows, que se encontravam em fase final de contratação”, complementa o texto.

Em suas redes sociais, a banda Nação Zumbi também se manifestou sobre o cancelamento das apresentações. Nas últimas 24 horas, o grupo recifense tem compartilhados mensagens que apontam a suposta censura. Confira alguns dos registros abaixo:

Chico César utilizou a mesma forma para criticar o cancelamento de seu show. Confira:

 

Tanto o grupo Nação Zumbi quanto Chico César são publicamente contrários a Bolsonaro. Em julho, o vocalista da banda de Recife, durante show em Ouro Preto, citou Bolsonaro como “escrotíssimo, inelegível”. Assim como o grupo Nação Zumbi, César já se mostrou adepto das causas sociais. Seu álbum de 2019, “O Amor é um Ato Revolucionário”, contém as canções “Pedrada” e “Eu Quero Quebrar”, que contam com conteúdo político. No dia 21 de novembro, em Brasília, Lula condecorou o músico Chico César com a Ordem Rio Branco, no Palácio do Itamaraty.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
// //