Policial

Polícia Federal deflagra operações de combate ao abuso sexual infantojuvenil pela internet

As operações deflagradas integram um conjunto de ações que visam fortalecer a repressão aos crimes relacionados ao abuso sexual infantil


29/05/2024

(Foto: Divulgação/PFPB)

Portal WSCOM



A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (29), na Região Metropolitana de João Pessoa, as Operações DISCOVERY 8 e 9, com o objetivo de combater o abuso sexual infantojuvenil. Foram cumpridos três mandados de busca e apreensão nas cidades de Conde e Bayeux.

Os investigados responderão pelos crimes de armazenamento e compartilhamento de material de abuso sexual infantojuvenil, previstos nos Arts. 241-A e 241-B do Estatuto da Criança e do Adolescente, cujas penas somadas podem chegar a 10 anos de prisão, sem prejuízo da descoberta de outros crimes mais graves praticados a partir da análise do material digital apreendido.

Durante a ação policial na cidade de Bayeux, o investigado, um homem de 47 anos, agente de endemias, foi preso em flagrante pelo armazenamento de material de abuso sexual infantojuvenil.

O nome da operação, descoberta, em inglês, é uma alusão a atuação incessante dos policiais federais na busca pelos autores de crimes desta natureza, que tantos prejuízos causam à sociedade.

As Operações deflagradas na presente data integram um conjunto de ações desenvolvidas pela Polícia Federal no estado da Paraíba, que visam fortalecer a repressão aos crimes relacionados ao abuso sexual infantil no estado e promover a prevenção destas práticas criminosas.

A Polícia Federal alerta aos pais e responsáveis sobre a importância de monitorar e orientar seus filhos no mundo virtual e físico, protegendo-os dos riscos de abusos sexuais. A prevenção é fundamental para garantir a segurança e o bem-estar das crianças e adolescentes.

 

OPERAÇÃO “GAME OVER”

Já em Campina Grande, a Polícia Federal deflagrou  a Operação “GAME OVER”, que também tem o objetivo de combater o abuso sexual infantojuvenil pela internet.

As investigações tiveram início com o recebimento pela Polícia Federal de informações encaminhadas por canais de cooperação internacional, dando conta de prática de abuso sexual infantojuvenil e disseminação de material de abuso por usuário brasileiro, em grupo do aplicativo de conversação.

Foi cumprido um mandado de busca e apreensão na residência do investigado, homem com 36 anos, que trabalhava em cruzeiros voltados justamente para crianças e adolescentes, que também teve sua prisão temporária decretada pela justiça.

O investigado responderá pelos crimes de estupro de vulnerável, produção, armazenamento e divulgação de material de abuso sexual infantojuvenil, com penas somadas de até 33 anos de prisão, sem prejuízo da descoberta de outros crimes praticados, a partir da análise do material digital apreendido.

O nome da ação policial faz referência ao modus operandi do investigado, que se utilizava de jogos de vídeo game para atrair suas vítimas.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
// //