Paraíba

PMJP vai ajudar comerciantes de fogos de artifício na busca por novo local

Local

17/07/2014




O secretário de Desenvolvimento Urbano de João Pessoa, João Almeida, se reuniu no final da tarde desta quarta-feira (16) com representantes da Associação de Barraqueiros dos Fogos de Artifícios do Estado da Paraíba e se prontificou a ajudá-los na instalação em um novo local. Os comerciantes tiveram suas barracas interditadas nesta quarta-feira pelo Corpo de Bombeiros e não poderão mais ficar no entorno do Estádio Almeidão.

“Não podíamos agir antes que o prazo terminasse, à meia-noite desta terça-feira. Como a gestão do prefeito Luciano Cartaxo é pautada no diálogo, convoquei os comerciantes para uma reunião e coloquei a Sedurb à disposição para ajudá-los no que for preciso e da nossa competência”, disse João Almeida.

Os sete comerciantes apresentaram quatro possíveis locais para onde eles possam ser relocados. “Apesar de não ser nossa obrigação, vamos saber agora quem são os proprietários dos terrenos. Após descoberto, teremos que analisar junto ao Corpo de Bombeiros e ao Exército Brasileiro se esses pais de família poderão comercializar na área”, ressaltou o secretário.

A comerciante Edileuza Muniz, representante da Associação de Barraqueiros dos Fogos de Artifícios saiu satisfeita da reunião. “Essas barracas são o ‘ganha pão’ de várias famílias. Graças a Deus recebemos o apoio da Prefeitura de João Pessoa para encontrar alguma solução para nós”, afirmou.

Entenda o caso – No dia 11 de junho de 2014, a Associação de Barraqueiros dos Fogos de Artifícios do Estado da Paraíba se comprometeu a manter as barracas localizadas em torno do Estádio Almeidão, em João Pessoa, nas condições atuais até o dia 15 de julho. De acordo com um termo de ajustamento de conduta (TAC), após esse prazo, a própria associação deveria retirar toda a estrutura de barracas. Caso não cumpra o TAC, a associação paga uma multa no valor de R$ 1 mil por dia.


Em respeito a Legislação Eleitoral, os comentários estão temporariamente suspensos.