Eventos

Pesquisador lança obra que desvenda genealogia de famílias nordestinas

Livro


25/07/2013



As origens das famílias provenientes do Nordeste brasileiro, do período colonial aos dias de hoje, começam a ser reveladas. Nesta quinta-feira, 25 de julho, o médico e pesquisador Candido Pinheiro Koren de Lima lança o primeiro volume da Coleção Borges da Fonseca, às 17 horas, na sede da Fundação Gilberto Freyre, em Recife (PE). Intitulado“Albuquerque: A herança de Jerônimo, o Torto”, o livro resgata como os Albuquerques chegaram a Pernambuco com o donatário Duarte Coelho e como Jerônimo de Albuquerque, o “Adão pernambucano”, com 36 filhos documentados, semeou seu sangue por todo o território nordestino.
Dividida em dez volumes, com recursos via Lei Rouanet e patrocínio do Sistema Hapvida, a Coleção resgata os diversos troncos familiares da região, mostrando a verdadeira origem do homem do Nordeste. As influências do sangue do índio nativo, do negro africano, do mulçumano negro ou semita e do judeu foram traçadas em um processo de identificação desses troncos.
Para a composição dos dez volumes da Coleção, os quais serão todos lançados até 2014, Candido Pinheiro, médico cearense, estudioso da genealogia nordestina há mais de 20 anos, procurou não apenas descrever a trajetória das famílias, mas também delinear a biografia dos seus personagens fundamentais, a partir dos trabalhos documentados no século XVIII por Borges das Fonseca, chegando aos dias atuais.

Borges da Fonseca – Antônio José Vitoriano Borges da Fonseca nasceu no Recife, em 1718. Foi governador e capitão-geral da capitania do Ceará, no período entre 1765-1782. Produzida em 1748, em quatro volumes manuscritos, a Nobiliarquia Pernambucana é a mais importante obra para os estudiosos da genealogia do Nordeste na época colonial. A obra abrange numerosas famílias portuguesas ligadas à história nordestina.
 



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
// //