Saúde

Peixe “barrigudinho” pode ajudar no combate à dengue, diz estudo na Ásia

Cura


12/09/2013

 O peixe lebistes, também conhecido como barrigudinho e uma das espécies mais comuns nos aquários domésticos, pode ajudar na luta contra a dengue, diz um estudo desenvolvido na Ásia e financiado em parte pelo BAD (Banco Asiático de Desenvolvimento).

O experimento, no qual também participou a OMS (Organização Mundial da Saúde), foi desenvolvido em dois distritos do Camboja e do Laos entre 2009 e 2011, nos quais se introduziu o citado peixe em 88% e 76% dos lares, respectivamente.

A introdução do barrigudinho produziu uma redução considerável das larvas do mosquito transmissor do vírus da dengue, já que o peixe demonstra um grande apetite pelo inseto que se desenvolve em água parada. Segundo Gerar Servais, especialista em saúde do BAD, "é um modelo de baixo custo".

— Funciona durante todo o ano e é seguro, além de permitir a participação de toda a comunidade. É uma alternativa ao uso de produtos químicos e reduz o custo dos tratamentos de emergência para conter as epidemias.

Atualmente não existe uma vacina ou tratamento específico para tratar a dengue, que causa dores musculares, nas articulações e cabeça, além de febre alta e erupções na pele, podendo ser mortal em sua variedade hemorrágica.

Segundo o BAD, a doença representa uma despesa considerável na precária economia de muitas famílias da região, além de afetar os orçamentos dos governos, no turismo e em outros setores.

Cerca de 2,5 bilhões de pessoas, mais de 70% delas na Ásia e no Pacífico, correm risco de contrair dengue, cuja incidência aumenta com o crescimento urbanístico desordenado. O barrigudinho, também chamado de ‘guppy’, é conhecido pela cauda em forma de leque. O BAD forneceu US$ 1 milhão para o projeto.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.