Política

Parlamentar critica ‘passaporte da vacina’ sancionado pelo Governo e cita infração à liberdade de ir e vir

“Até onde se pode restringir o ‘ir e vir’ das pessoas?”, questionou Carlão Pelo Bem na sessão ordinária desta quinta-feira (14).


14/10/2021

(Foto: divulgação/CMJP)

Portal WSCOM



Após a sanção do o projeto de lei do ‘passaporte da vacina’, que regulamenta a política de utilização da vacina contra a Covid-19 no Estado, o vereador o vereador Carlão Pelo Bem (Patriota) fez críticas as restrições de acesso para não imunizados. “Até onde se pode restringir o ‘ir e vir’ das pessoas?”, questionou o parlamentar na sessão ordinária desta quinta-feira (14). “Não vejo com alegria esse passaporte sanitário e tenho o direito de pensar assim. Fui eleito para esta tribuna para expressar sentimentos que estão lá fora, nas ruas”.

Para o parlamentar, todos têm o direito de compreender o que é bom para si e isso deve ser respeitado. Ele voltou a explicar que a vacina desenvolvida mais rapidamente foi a da caxumba, que levou quatro anos, e comparou com os imunizantes disponíveis contra a Covid-19, produzidos em cerca de 12 meses.

“Imaginem alguém querer tirar o salário de uma pessoa que não quisesse ou pudesse se vacinar. O que querem colocar na mente da gente é que a humanidade só sobreviveria por causa da vacina. Não é real. Existe estudos que reconhecem os benefícios de uma imunidade natural, que, inclusive, traz maior proteção que a própria vacina. Precisávamos correr para salvar o máximo de pessoas. Sou um defensor ferrenho da vacina, mas, da obrigatoriedade, não”, enfatizou.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.