Esporte

Palmeiras tem prazo definido para pagar dívida por Matías Viña e evitar ação do Nacional, do Uruguai, na Fifa; entenda

Palmeiras tem o prazo de dez dias, iniciado na última quinta-feira, para quitar um débito de 30% do valor total que ainda resta a ser pago

22/05/2020


Na imagem o lateral-esquerdo Matías Viña - Foto: Getty Imagens

Fox Sports

Mesmo sendo um dos clubes com a melhor saúde financeira do Brasil, o Palmeiras também passa por um momento delicado durante a pandemia da Covid-19 e estuda maneiras de quitar as dívidas que vêm pela frente. Fontes ligadas ao clube paulista apontam que o setor jurídico do clube conversa com Alejandro Balbi, vice-presidente do Nacional, do Uruguai, a respeito de uma dívida do clube paulista pela compra do lateral-esquerdo Matías Viña.

De acordo com o posicionamento do clube uruguaio, o Palmeiras tem o prazo de dez dias, iniciado na última quinta-feira, para quitar um débito de 30% do valor total que ainda resta a ser pago. Caso os paulistas não quitem a dívida, o Nacional irá à Fifa, nos mesmos moldes realizados pelo Atlético Nacional, da Colômbia, por conta da dívida atrasada pelo Palmeiras referente à compra de Miguel Ángel Borja, realizada em 2017.

O valor da divida gira em torno de 550 mil euros, algo em torno de R$ 3,3 milhões. No entendimento do clube paulista, os uruguaios, assim como boa parte dos demais times do mundo, necessitam de capital no momento por conta da paralisação do calendário. Porém, mesmo com a urgência cobrada pelo Nacional, o Palmeiras não demonstra preocupação, uma vez que tem boa relação com a diretoria do clube uruguaio. Mesmo durante a pandemia, ainda no mês de março, o Verdão quitou uma parte adiantada da parcela, restando apenas o débito cobrado pelos uruguaios.

Com a paralisação do calendário do futebol mundial, o Palmeiras segue aguardando o pagamento que também precisa receber. O clube paulista ainda não recebeu o valor oferecido pelo Barcelona na compra do volante Matheus Fernandes, cerca de R$ 33,2 milhões, e ainda concedeu ao Dínamo de Kiev, da Ucrânia, um prazo maior para o pagamento das parcelas referente à venda do meio-campista Tchê Tchê, ainda em 2018. Por conta dessa alteração no fluxo de recebimento, o Palmeiras aguarda movimentações financeiras para quitar de vez a dívida que tem por Viña.

Se o Nacional for à FIFA, o Palmeiras corre o risco de perder pontos?

Em contato com André Sica, advogado do Palmeiras, sobre possíveis punições ao clube na FIFA, ele citou que, caso chegue ao processo inevitável da perda de pontos como punição, seria necessário ser derrotado em todas as instâncias do processo e ainda assim perder um prazo de 90 dias para o pagamento da dívida. Na visão do Palmeiras, uma possibilidade de perda de pontos no futuro por conta de uma dívida pelo lateral-esquerdo Matías Viña é tida como ‘sem possibilidade de existir’.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.