Paraíba

Padre Gilmar diz que ficou em cativeiro, amarrado e com capuz; três suspeitos são procurados

16/10/2020


Da Redação / Portal WSCOM

O padre José Gilmar concedeu entrevista, na noite desta sexta-feira (16), e contou detalhes sobre o seu desaparecimento. Ele revelou que foi levado por sequestradores a um cativeiro no meio do matagal, amarrado e ficou com um capuz, na região de Tambaba.

“Fiquei desde a terça-feira o final da tarde até hoje, consegui sair depois de terem me liberado na quarta à tarde, mas com ameaça de que eu não saísse daquele local. Graças à Deus sai caminhando, ontem caminhei bastante. Foi amarrado as mãos, colocado capuz, mas eles retiraram”, disse.

Segundo o padre, os homens estavam em um outro veículo e abandonaram o veículo do padre em Tambaba.

O delegado Victor Melo revelou que pelo menos três pessoas estavam com o padre no cativeiro. A Polícia Civil já tem uma linha de investigação, revelou.

Ele ainda contou que os criminosos pensavam que padre Gilmar fosse motorista de aplicativo. Ele foi abordado após um velório, e obrigado a dirigir no sentido Recife. O padre ainda estava com o celular entre as penas e conseguir mandar um pedido de socorro.

“Ele não foi violentado fisicamente, mas psicologicamente… ao descobrirem que ele seria padre, passaram a exigir que ele transferisse dinheiro da paróquia, mas ele não fez”, declarou à Tv Cabo Branco.

 


Em respeito a Legislação Eleitoral, os comentários estão temporariamente suspensos.