Política

OPINIÃO: Em análise, Walter Santos narra e avalia como preocupante “mal estar” entre Executivo e Legislativo

11/02/2020


O multimídia Walter Santos (Foto: Arquivo)

Sinais de “enfrentamento” entre Executivo e Legislativo expõem perigo e erro político trocando a harmonia por relação em ruína

A última fase das relações entre o Executivo e Legislativo com aguçamento do tom duro e afrontador das partes tem deixado observadores e agentes da política impressionados com a crise feito “fogo de monturo”, gerando projeções antes inadmissíveis entre as partes harmônicas.

A origem estopim de tudo está na provocação da oposição ao Governo em protocolar na Assembleia Legislativa  pedido de impeachment dos mandatos do governador João Azevedo e sua vice, Lígia Feliciano, gerando “fio desencapado” entre alguns dos atores políticos como não se esperava.

UM RESUMO DA CRISE PREOCUPANTE

Depois de todas as manifestações expostas chamou a atenção a decisão da CCJ – Comissão de Constituição e Justiça nesta terça-feira, 10, aprovou a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 20/2019, do Governo do Estado, que altera a disciplina do regime próprio de previdência social dos servidores estaduais, prevê regras de transição e disposições transitórias.

No entanto, durante a mesma reunião, os membros da CCJ entenderam, por maioria, ser inconstitucional o Projeto de Lei Complementar (PLC), de autoria do Governo do Estado, que tem o objetivo de criar a Fundação PB Saúde. Agora, a matéria segue para o Plenário da Assembleia Legislativa, que irá analisar o parecer da CCJ.

EFEITO DA SOLIDARIEDADE

De um lado, o governador se manifestou  solidário com o deputado federal Damião Feliciano ao criticar pedido de Impeachment e CPI por não ver consistência legal, ao tempo em que deputados se apresentam solidários ao presidente da Assembléia cuja cena intui um fosso de posições.

João Azevedo não foi para confronto com a ALPB mas setores da mídia trataram assim.

Em sintese, ao invés de amuos e/ou insultos ou  se senta para construir a superação ou é ruína e projeção de sérios problemas entre as partes com desdobramentos desconhecidos.

ÚLTIMA

“Quando um não quer/ dois não brigam…”


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.