menu

Brasil

08/11/2019


OPINIÃO: Após decisão do STF, Walter Santos critica ‘justiceirismo’ contra ‘estado democrático de direito’

Por Walter Santos
Portal WSCOM

Cultura do “Justiceirismo” se estende aos Estados contra o indispensável “Estado Democrático de Direito”, mas está perdendo

 

 

Ninguém se iluda: a nova fase da Justiça brasileira abrigando decisão do STF, restabelecendo o Estado Democrático de Direito ao respeitar a Constituição no trato da prisão em segunda instância, fez setores do Judiciário e MPF na “maior cara de pau” defender a cultura Justiceira em voga pela Lava Jato em nome de uma falsa moral impressionante.

 

Nos diversos Estados, inclusive do Nordeste, diversos desembargadores, juízes e promotores ocuparam contas nas redes sociais pós STF para mostrar indignação contra a decisão acertada do Supremo de restabelecer a Constituição. Pior é o reverso da indignação contra esses agentes que, ao invés da ponderação e equilíbrio, assumem irritabilidade fora de abrigo legal. A decisão do STF é soberana.

 

A CULTURA MORO FEZ ESCOLA – O fato é que uma nova safra em setores na Justiça e Ministério Público no País, sintonizada com a essência justiceira advinda da escola americana do lawfare (uso da lei para punir alguém por interesse político), se estabeleceu na nova ordem depois de Sérgio Moro e Dallagnol. Quer ser mais ou a própria lei. Nunca levaram em conta os grandes nomes e princípios do Direito amplo.

 

Os dois, Moro e Dallagnol, a serviço dos EUA, “fizeram escola no Brasil” estendendo para os diversos Estados um novo modelo jurídico impondo estilo e condução desrespeitando o Estado Democrático de Direito em nome do combate à corrupção, embora praticando a corrupção denunciada.

 

Moro e Dallagnol se multiplicam no estado reproduzindo o justiceirismo político com inspiração política a serviço de quem desmonta a proteção e espolia o patrimônio nacional. Ambos respondem a métodos corruptos e fascistas na cena nacional de 2016 para cá.

 

São dois heróis de barro, nunca heróis de fato, mas cultuados pela Elite odienta e mal-amada. Mas, agora, a reversão se mantém crescente e devastadora. O próximo mito a cair todos sabem o nome.