Política

OPINIÃO: ‘A solidão e má sorte de Manoel Junior em face das escolhas: qual seu futuro?’, por Walter Santos

13/02/2020


Manoel Júnior.

Por Walter Santos

O vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Junior, reverbera com intensidade a audiência obtida dias atrás com novo Ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, antes numa atividade política do Solidariedade em Campina e só. Fora disso ninguém ouve falar do ex-deputado federal.

Atual vice-prefeito sequer foi incluído entre as opções do prefeito Luciano Cartaxo para sucessão o que, convenhamos, se traduz em desprestígio.

O danado é que Manoel Junior é quadro qualificado, mas vítima das escolhas feitas desde ser vice de Ricardo Coutinho, não ter sabido segurar a onda no MDB, ainda ter se aproximado de Eduardo Cunha e agora estar preso a uma vice que não apita em nada.

FUTURO

Do jeito que as coisas andam, não há clima nem estrutura para sua candidatura deslanchar para prefeito de João Pessoa por vários fatores, por isso sua estratégia-mor restante é ter de reforçar candidaturas a prefeito e vereador em todo estado se voltando para candidatura à deputado federal em 2022.

Em tempo: em João Pessoa vai terminar se compondo com a Oposição visando se cacifar visando 2022 e ainda criar meios de melhores escolhas e companhias para lhe deixar existir.

 


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.