Política

Operação Pés de Barro: ‘Não há provas, somente ilações e conjecturas’, diz defesa de Wilson Santiago

Segundo a defesa, George Ramalho, delator do suposto esquema fraudulento, visa “notoriedade na Paraíba por delatar terceiros para não ser preso".

14/01/2020


Na imagem, o deputado federal Wilson Santiago

Portal WSCOM

O advogado de defesa do deputado federal Wilson Santiago (PTB-PB), Luis Henrique Machado, rechaçou as acusações que recaem contra o parlamentar paraibano no âmbito da Operação Pés de Barro, deflagrada pela Polícia Federal em 21 de dezembro do ano passado.

 

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, ele citou que o empresário George Ramalho, delator do suposto esquema fraudulento, ganhou “notoriedade na Paraíba por delatar terceiros para não ser preso” e não apresentou nenhuma prova de que Wilson Santiago recebeu dinheiro ilícito.

 

“Tampouco a Polícia Federal apresentou provas que incriminassem o deputado. A ação controlada, as intercepções telefônicas, telemáticas e ambientais não dizem nada a respeito do deputado, somente ilações e conjecturas”, disse Luis Henrique Machado.