Política

Nova pesquisa PoderData aponta que Lula amplia vantagem sobre Bolsonaro no 2º turno; clima no Governo é de tensão

Há 15 dias, diferença era de 10 pontos; hoje, petista venceria com 52% contra 35% do atual presidente


22/06/2022

Pesquisa mostra Lula com 17 pontos percentuais a frente de Bolsonaro no segundo turno. (Crédito: Ricardo Stuckert/Divulgação)

WSCOM com Isto É



A mais recente pesquisa da PoderData sobre as intenções de votos para a eleição presidencial deste ano mostrou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ampliou sua vantagem no segundo turno em relação ao presidente Jair Bolsonaro (PL) em sete pontos percentuais.

De acordo com a PoderData, Lula tem uma vantagem de 17 pontos percentuais sobre Bolsonaro, com o petista somando 52% das intenções de voto – era 50% no último levantamento. Já Bolsonaro tem 35% da preferência do eleitorado, sendo que na última pesquisa realizada era 40%.

Esta é a maior vantagem entre os dois no segundo turno desde janeiro deste ano, quando Lula tinha uma vantagem de 22 pontos, de acordo com a Poder Data.

Primeiro Turno

Em relação ao primeiro turno, Lula tem hoje 44% das intenções de voto, enquanto que o Bolsonaro aparece com 34%. Numa comparação com a pesquisa anterior, o petista oscilou um ponto para cima, enquanto que o presidente, um ponto para baixo.

Ciro Gomes (PDT) manteve 6% dos votos, com André Janones (Avante) com 2%. Simone Tebet (MDB), Luciano Bivar (União Brasil) e José Maria Eymael (DC) tiveram 1% cada.

A pesquisa ouviu 3 mil eleitores por telefone entre os dias 19 e 21 de junho. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou menos e o levantamento está registrado na Justiça Eleitoral com o número 07003/2022.

 

Pesquisas criam clima de tensão no Governo

O clima é de apreensão nos bastidores do governo após a divulgação do levantamento da PoderData. Às vésperas da divulgação de uma nova pesquisa do DataFolha, aliados de Jair Bolsonaro já dão como certo o aumento da distância entre o presidente e seu principal adversário, Lula.

Segundo a Veja, a trajetória de crescimento que Bolsonaro teve nas pesquisas anteriores deve estagnar e mostrar uma perda de força do presidente. Se o temor se confirmar e Lula ampliar sua vantagem, as alianças devem as alianças devem ficar difíceis.

No último levantamento, a distância entre os dois líderes era de 21 pontos. A equipe do presidente esperava que a distância diminuísse ainda mais para conquistar espaço, palanque e aliados. Se o DataFolha de fato mostrar que o presidente parou de crescer, a perda de força será inevitável.

De acordo com a publicação, enquanto Lula conseguiu unir nomes importantes da esquerda e faz um aceno ao centro, atraindo caciques de partidos como o MDB, Bolsonaro deve ver uma debandada de seus aliados se não demonstrar força para vencer a eleição.

Com a proximidade das eleições, uma pesquisa que mostre Bolsonaro estagnado ou caindo pode ser fatal para os seus planos de buscar apoio para se reeleger.

 



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.