Tecnologia

Nokia faz 155 anos – relembre os celulares que ficaram na memória

25/06/2020


Nokia N95

Portal WSCOM

Durante a era digital a Nokia se destacou por seus celulares, ganhando a fama de indestrutível que tem até hoje após o modelo 3310, conhecido pela durabilidade. A marca mundialmente conhecida acabou liderando o mercado por mais de 10 anos e, em maio, completou 155 anos desde a sua fundação. Além do 3310, a fabricante revolucionou a indústria com o N95, que representou o nemesis das câmeras fotográficas digitais da época por apresentar uma câmera de qualidade impressionante. Contudo, com a evolução tecnológica e a chegada dos smartphones, a empresa perdeu espaço de mercado.

O Nokia 3310
O Nokia 3310

Fracasso da parceria com o Windows Phone

 

Após várias negociações, a fabricante fechou um acordo com a Microsoft em 2011 para lançar seus smartphones com o sistema operacional Windows Phone. Contudo, houve um fracasso na parceria devido à falta de popularidade da plataforma da Microsoft, que deixou a Nokia fora do mercado dos smartphones por um tempo.

 

Em 2017, a fabricante retornou, lançando o Nokia 6, que contava com o Android como sistema operacional. Atualmente, a companhia tenta ganhar a simpatia do mercado brasileiro com um novo lançamento, o modelo 2.3 que, apesar de não ser conhecido pelo lançamento do inesquecível “jogo da cobrinha”, roda outros clássicos como Candy Crush, Plant vs Zombie, e até mesmo caça-níqueis temáticos na web para quem quer aprender a jogar o Halloween caça-niquel. O novo modelo foi lançado há três semanas, e, por enquanto, vem sendo importado por aproximadamente R$899, um preço atrativo para a maioria dos brasileiros.

 

História da Nokia

 

Fundado em maio de 1865 na Islândia pelo engenheiro Fredrik Idestam, o negócio inicialmente fabricava papéis, logo abrindo uma segunda unidade, e começando a ter lucro e receber participações de acionistas. Em 1896, o fundador se aposentou e o seu sócio e colega, Leo Mechelin, assumiu a empresa que passou a integrar o mercado de fornecimento de energia elétrica.

Devido à 1º Guerra Mundial a empresa quase chega a falência, mas a aquisição da Finnish Rubber Works, uma fábrica de produtos de borracha, lhe dá um novo fôlego. Já em 1922, a Nokia adquire a Finnish Cable Works, uma fabricante de eletrônicos e cabos, ramo que seria a base da empresa, com nova gestão de Eduard Polón.

No ano de 1967, tornou-se uma gigante, especializando-se no fornecimento de diversos produtos eletrônicos. A partir de 1984, iniciou-se a produção e desenvolvimento dos telefones que podiam ser transportados, como o Mobira Senator e o Mobira Cityman 900. Estes poderiam ser utilizados dentro dos carros, e viraram um símbolo de riqueza.

Desde então a empresa passou a investir cada vez mais no ramo das telecomunicações. Sendo uma das pioneiras no desenvolvimento do GSM (Global System for Mobile Communications), a companhia então emplacou o Nokia 1001, que foi o primeiro celular GSM da fabricante produzido em massa.

 

Modelos Nokia Icônicos

 

  • 3310: O dispositivo dos anos 2000 que se tornou praticamente o sinônimo de indestrutibilidade. Com um design simples, o aparelho fez um sucesso estrondoso, vendendo cerca de 126 milhões de unidades.

 

  • 1000: O desenho minimalista e baixo custo eram grandes atrativos, além de ter o famoso jogo da “cobrinha” e vir com uma lanterna embutida, o celular era extremamente popular. Com 250 milhões de aparelhos vendidos, o 1000 ganhou o recorde de modelo mais vendido do mundo.

 

  • 6101: O aparelho que tornou possível tirar selfies ainda em 2005, o mobile flip vinha com tela e visor externo que permitia ver imagens da câmera e capturar autorretratos.

 

  • N95: Chegou ao mercado em 2006 com o diferencial da câmera de 5 megapixels, que era equivalente a muitas câmeras fotográficas digitais da época, além disso o celular contava com uma memória interna de 160 MB, tinha conexão 3G, e podia baixar músicas e vídeos.

 

  • C3: Lançado em 2010, ele suportava Wi-Fi, podendo acessar e-mails, streaming, fazer download de músicas e vídeos, e acessar as redes sociais. Seu principal diferencial era o baixo custo.

 

 

 

Maurilio de Almeida

Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.