Cursos e Eventos

Nando Cordel, Tom Oliveira e Renata Arruda são as atrações deste sábado no Ponto

'São João Pra Valer'

22/06/2013


O segundo dia do ‘São João Pra Valer’ traz mais quatro atrações para o palco montado no Ponto Cem Réis, o pólo principal da festa organizada pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio de sua Fundação Cultural (Funjope). Neste sábado (22), a partir das 19h a festa será iniciada com a apresentação de Chico Sales e seguirá com shows de Tom Oliveira, Renata Arruda e Nando Cordel. 

A principal e última a subir ao palco do Ponto Cem Réis será o cantor Nando Cordel. O cantor promete animar a festa com velhas canções conhecidas do público e consideradas emblemáticas do período junino. Uma das músicas mais marcantes do repertório de Nando Cordel que estará presente no ‘São João Pra Valer’ será ‘você endoideceu meu coração’.

Nando Cordel, cantor e compositor conhecido nacional e internacionalmente, tem 25 anos de carreira, 28 CDs lançados. Sendo 12 coletâneas de músicas instrumentais e 01 de chorinho. Além de um DVD lançado em 2007.

O talento e a versatilidade de Nando conquistaram o Brasil. Suas músicas gravadas por grandes nomes da música brasileira como: Maria Bethânia, Elba Ramalho, Fafá de Belém, Ivete Sangalo, Chico Buarque, Zizi Possi, Xuxa, Fagner, Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Martinho da Vila, Chiclete com Banana, Emílio Santiago, Sérgio Reis, Leandro e Leonardo, Amelinha, Netinho, Fábio Júnior, entre outros.

Renata Arruda – Pouco antes da atração principal pisar no palco, o público poderá conferir o repertório eclético da cantora Renata Arruda. Renata Arruda promete ainda uma sequência de forrós, passeando por canções do Antônio Barros a Jackson do Pandeiro. Três dimensões de uma carreira pautada pela voz e a interpretação, segundo ela.
Natural de João Pessoa, Renata Arruda ganhou projeção nacional com o primeiro disco intitulado “Traficante de Ilusões”, que contava com a participação de Ney Matogrosso e Alceu Valença, unindo um repertório entre inéditas e músicas do cancioneiro brasileiro.
Um dos ápices de sua carreira veio com o CD “Um do outro”, que projetou a canção “Ouro pra mim”, de Peninha, em trilha de novela e foi uma das mais tocadas de 1999. Em seus discos, a facilidade de unir o Pop com acento regional, mas de dimensão universal de Lula Queiroga, Chico César, Lenine, Alceu Valença e Belchior, a toda uma geração da MPB Pop como Moska, Dulce Quental, Frejat, Vinícius Cantuária e Samuel Rosa.
Chico Salles – Nascido no município de Sousa, na Paraíba, Chico Salles mudou-se para o Rio de Janeiro nos anos 70, trazendo na bagagem as influências musicais que marcaram sua adolescência no Nordeste. Inspirados nos xotes, xaxados e baiões que alegravam as noites do sertão paraibano, nasceram suas primeiras composições, que eram mostradas apenas em reuniões familiares.

Atualmente está preparando o lançamento do seu recente CD, “O Bicho Pega”, pela gravadora Som Livre. Este CD foi novamente produzido por José Milton, com a ampliação da qualidade percussiva e sonora, dividindo o repertório meio a meio com outros importantes compositores.

Chico é membro e diretor Cultural da Academia Brasileira de Literatura de Cordel, ocupando a cadeira originalmente pertencente ao ilustre brasileiro Catulo da Paixão Cearense, e tem mais de quarenta títulos de cordel publicados.

Tom Oliveira – um repertório baseado em grandes ícones da cultura nordestina e do forró, ritmo protagonista no palco do ‘São João Pra Valer’. É assim que o cantor Tom Oliveira vai abrir o segundo do evento da PMJP no palco do Ponto Cem Réis.

Nascido em Campina Grande, o artista absorveu o gosto pelas raízes culturais do Nordeste através do seu velho pai, poeta, repentista e compositor, Juvenal de Oliveira. Aos 14 anos, já acompanhava conjuntos musicais tocando triângulo e cantarolando músicas de Luiz Gonzaga, Trio Nordestino, Jackson do Pandeiro dentre outros.

Com suas composições que flertam com senso de humor, Ton se preocupa em agradar o público para aproveitar sua forma de expressão para chamar a atenção das autoridades do nosso país, atentando para os problemas sociais. Em 1991 lançou seu primeiro disco (Forró pra Derreter), e até hoje vem gravando a cada ano e destacando músicas de sua autoria, do seu pai e de outros parceiros. Em 2005, o cantor lançou um cd acústico (pé-de-serra) com regravações, onde resgata verdadeiras pérolas do cancioneiro nordestino, gravadas na sua originalidade pelos: Trio Nordestino,Os Três Do Nordeste, Elino Julião, Messias Holanda,Trio Mossoró, Assisão, Zito Borborema



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você