Educação

Mercadante minimiza falha no 1º dia do Sisu

1º dia

08/01/2013


 O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, minimizou a falha que permitiu que candidatos a vagas no Sisu (Sistema de Seleção Unificada) vissem dados de outros concorrentes, ao navegarem pela página do sistema na internet, no primeiro dia de inscrições. Segundo Mercadante, o ministério estima que tenham vazado informações de quatro ou cinco estudantes até que o problema fosse corrigido.

– Foi um pequeno problema na abertura do processo de acesso, sem nenhuma implicação. São quatro, cinco Alunos que acessaram na rubrica ajuda (da página do Sisu) e acessaram alguns dados de outros. Mas não pode alterar os dados, não tem nenhum desdobramento, nenhuma implicação e foi imediatamente resolvido – disse o ministro.

De acordo com o MEC, o problema ocorreu antes da 1h da madrugada, menos de uma hora depois de o sistema de inscrição entrar no ar. Ao navegarem na página, os candidatos podiam clicar numa opção de ajuda para tirar dúvidas sobre o procedimento. Em vez da ajuda, os internautas eram redirecionados para outra página, visualizando o nome, o e-mail e as notas de outro concorrente na redação e nas quatro provas objetivas do Enem de 2012.

O ministro aproveitou para defender o formato de divulgação das redações originalmente acordado entre o MEC e o Ministério Público Federal (MPF), que prevê que os participantes do Enem terão acesso a cópias corrigidas das redações em fevereiro. Mercadante deixou clara a sua contrariedade com a atuação do MPF no Ceará, por ter pedido à Justiça Federal que o MEC disponibilizasse as redações num prazo de 48 horas. A Justiça Federal de primeira instância no Ceará acatou o pedido, mas tal decisão foi derrubada pelo Tribunal Regional Federal da 5ª Região.

– O desembargador responsável pela 5ª região fala pelo MEC nesse episódio. Deu ganho de causa integral ao MEC e eu fico muito feliz de terem juízes com essa estatura, essa responsabilidade, esse espírito público – disse o ministro.

Mercadante pediu a compreensão dos estudantes, ressalvando que é natural que exista ansiedade em quem quer ver seu texto corrigido para entender o porquê da nota recebida.

Mais de 800 mil no 1º dia

Cerca de 809 mil estudantes se inscreveram no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) até as 20h de ontem, de acordo com o último balanço divulgado pelo Ministério da Educação (MEC). São, ao todo, 1,5 milhão de inscrições no primeiro dia, já que o candidato pode optar por até dois cursos. Das 101 instituições públicas de Ensino superior que oferecem 129.279 vagas em 3.751 cursos pelo Sisu, a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) foi a mais procurada do país, com 86.779 candidatos e 109.213 inscrições para concorrer a 4.745 vagas do primeiro semestre. Só em Medicina, carreira mais concorrida, foram 10.601 inscritos.

Devido a uma falha no site, nos primeiros minutos após a abertura das inscrições, candidatos tiveram acesso a dados de outros estudantes, como nome, telefone e e-mail. Segundo o MEC, apenas cinco estudantes puderam ver os dados de outros concorrentes.

Após a divulgação da nota de corte (pontuação mínima para aprovação), às 2h da madrugada de hoje, os estudantes podem alterar suas opções para buscar uma melhor classificação em outros cursos e instituições. Antes mesmo da abertura do Sisu, no primeiro minuto de ontem, 20 mil pessoas já tinham entrado no sistema, aguardando pela abertura das inscrições. Assim que os registros começaram, o número saltou para 50 mil. Na primeira hora de funcionamento, já eram mais de 80 mil inscritos.

Ação civil para dar acesso à redação

Muitos candidatos, entretanto, ainda questionam as notas da redação e lutam na Justiça para ter acesso às suas provas escritas. Enquanto o MEC prevê a liberação do espelho da redação apenas para 6 de fevereiro, pelo menos 40 estudantes, insatisfeitos com suas notas, entraram com ações individuais para ter acesso antes do fim da primeira rodada de inscrições do Sisu.

O presidente em exercício do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, Luiz Carlos de Castro Lugon, negou recurso do Inep, mantendo decisão da Justiça Federal dando vista da prova de redação a dois estudantes do Rio Grande do Sul.

O MEC confirmou ter enviado a dois candidatos detalhes da correção de suas provas de redação, em cumprimento de decisões judiciais. Esses detalhes enviados aos candidatos incluem as notas parciais e finais de cada corretor da prova. O MEC também informou aos dois se a redação passou por uma terceira correção ou se chegou até a banca examinadora, último recurso previsto no edital do exame.

O envio dos dados foi feito antes da decisão do Tribunal Regional Federal da 5ª Região derrubando uma liminar da Justiça Federal no Ceará que mandava o MEC antecipar para todos os candidatos do país o espelho da correção, previsto para divulgação em 6 de fevereiro. Com a decisão do TRF-5, da qual ainda cabe recurso, o prazo para que todos os candidatos tenham acesso às redações está mantido para mês que vem.

No Rio, a Justiça Federal já concedeu 13 liminares favoráveis a candidatos garantindo o acesso prévio à correção. No entanto, o MEC não cumpriu a determinação no prazo estabelecido para cada caso nem recorreu da decisão. O defensor público Daniel Macedo disse que vai ajuizar ação civil pública para assegurar que o benefício seja estendido a todos os candidatos ao Sisu.

– Tenho recebido muitos estudantes insatisfeitos, e não é justo que apenas as ações individuais sejam contempladas. Espero que a Justiça acate o pedido e mantenha a decisão nas instâncias superiores, se preciso – disse Macedo.

Ontem, estudantes cariocas fizeram novo protesto, caminhando da Praça XV até o Ministério Público Federal, onde entregaram uma representação à procuradora Gabriella Rodriguez pedindo nova intervenção para liberar o acesso à correção da redação do Enem.

– Alguns Alunos conseguiram na Justiça o direito de ter espelhos de provas liberados antes da abertura do Sisu, o que seria totalmente injusto com aqueles que não conseguiram tal feito – disse Felipe Gomes, um dos estudantes.

As quatro federais do Rio (UFRJ, UFF, Unirio e Rural) aderiram ao Sisu e ao Enem como única forma de acesso a seus cursos. Entre os dez cursos mais procurados no 1º dia de inscrições, cinco são da UFRJ: Medicina, Direito, Psicologia, Administração e Comunicação Social.

Os estudantes devem se cadastrar no Sisu exclusivamente pelo site www.sisu.mec.gov.br até as 23h59m de sexta-feira. O processo seletivo é constituído por duas chamadas. A primeira será já na próxima segunda-feira, e a segunda, em 28 de janeiro. As matrículas serão nos dias 18, 21 e 22 de janeiro para a primeira chamada, e 1º, 4 e 5 de fevereiro de 2013, para a segunda.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.