Policial

Mãe do acusado de matar Anielly diz que filho é culpado: “O que ele fez com essa criança ele fazia com qualquer uma, inclusive com a própria filha”


08/09/2021

Portal WSCOM

A mãe do suspeito de violentar e matar a menina Anielly, de 11 anos, afirmou que o filho é culpado do assassinato da criança que aconteceu na madrugada do último domingo (5),  cujo corpo foi encontrado na manhã desta quarta-feira (8), em um matagal perto da Avenida Epitácio Pessoa, na Capital.

Dona Marinez, mãe de Alex, suspeito dos crimes contra a criança, afirmou que o filho é usuário de drogas e que o viu na sexta-feira (3) pela última vez. “Na sexta-feira ele disse que o homem (o empregador) tinha dado folga e que só ia trabalhar no dia 7”, destacou. De acordo com a genitora do acusado, ele trabalha com venda cocos perto dos quiosques da praia de Tambaú.

 

Saiba mais: Corpo de criança de 11 anos que estava desaparecida é encontrado com indícios de abuso em João Pessoa; suspeito é identificado

Mãe pede justiça por filha encontrada morta com indícios de abuso e suspeita de mais participantes no crime, em João Pessoa

[VÍDEO] Suspeito discutiu com mãe de menina de 11 anos encontrada morta em João Pessoa

 

A mãe do homem afirmou ter certeza de que ele é culpado do crime. “O que ele fez com essa criança ele fazia com qualquer uma, inclusive com a própria filha. Acho que motivo ele não tinha. Acho que foi droga mesmo”, disse Dona Marinez em entrevista à TV Correio.

Dona Marinez ainda informou que ele é um homem frio e que sabia que era ele que tinha cometido o crime, pois as roupas que ele usava no dia do desaparecimento da criança, foram encontradas no local em que ele dormia. Ela acredita que não há motivação pessoais para o crime e que ele teria cometido o assassinato por ser usuário de drogas.

Ao ser questionada se o filho teria contado algo a ela, a mãe do acusado afirmou que “ele não confessa pra ninguém, ele é um homem frio”. Dona Marinez ainda mostrou revolta pode ter tido a casa invadida nesta terça-feira (7) por populares indignados com o crime. “Quase perdia minha vida por causa dele”, lamenta. A casa foi destruída e a família está abrigada com parentes.

Segundo a delegada Luísa Corrêa, responsável por investigar o caso, a motivação do crime foi sexual. “O suspeito faz pequenos bicos nos quiosques locais, pediu uma bicicleta emprestada e foi conversar com a criança. Deve ter usado da confiança da família para convencê-la”.

A delegada afirmou ainda que segue com as investigações e que aguarda o mandado de prisão preventiva para que o acusado seja considerado foragido. “Ele é o principal suspeito, mas temos outras diligências em andamento e precisamos ouvir outras pessoas para concluir se ele agiu sozinho ou se teve a participação de outras pessoas”, ressaltou.

Até agora, quatro oitivas foram realizadas e outras pessoas que precisam ser localizadas. A polícia também avalia imagens e aguarda o resultado de perícias inclusive de DNA. O suspeito continua sendo procurado pela polícia.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.