Economia & Negócios

João Pessoa dispõe há anos de projetos viáveis prontos para Polo Digital, de Cultura e Economia Criativa produzidos por ACUÑA e Cláudio Marinho

16/01/2021


Priscila e Cláudio Marinho. (Foto: Reprodução)

Por Walter Santos



O anúncio extraordinário de lançamento do Parque Tecnológico “Horizontes da inovação” no prédio do antigo Colégio Nossa Senhora das Neves nesta sexta-feira motivou a existência e exposição de projetos e estudos aprofundados já existentes para recuperação do referido ambiente e outros em todo Centro Histórico produzidos pelo Instituto ACUÑA quando de mobilização social anos passados e ainda por Consultoria do expert Cláudio Marinho para o SEBRAE, portanto, solução existente ignorada no ecossistema local.

No caso de Cláudio Marinho, ele dispõe de consultoria e de amplo projeto de análises conjunturais e de perspectiva. Por exemplo: a dados da realidade atual existem em curso pela Prefeitura de Paris novos métodos que podem ajudar na implantação no Centro Histórico de João Pessoa.

São dois dos vários documentos aprofundados já existentes de análises e perspectivas de auto sustentação do Parque Tecnológico no Centro Histórico de João Pessoa, ainda à disposição do Governo, fruto de muitos anos de mobilização do ecossistema com estudos produzidos por duas fontes altamente credenciadas e com capacidade de ampla execução sem precisar priorizar Barcelona.

 

(Foto: Arquivo)

 

CASO INSTITUTO ACUÑA – Depois de muitos anos motivados por ampla e continuado movimento da sociedade organizada de João Pessoa reunindo todas Universidades Federais, empresas e entidades representativas de TI, Midia Digital, instituições privadas, representações de Cultura e de moradores da área, o Instituto ACUÑA produziu profundo documento de viabilização do projeto futurista. Embora enviado à Secretaria de Educação antes do lançamento do Parque na sexta-feira sequer foi considerado.

Segundo o projeto do Instituto ACUÑA, a Implantação do CEEI – Centro de Estudos de Excelência, Inovação e negócios – Professor Lynaldo Cavalcanti de Albuquerque, situado na Praça Dom Ulrico, Centro, aponta para devida recuperação estrutural das instalações do prédio que abrigará as representações das  principais Universidades Públicas e Privadas, instituições de fomento à Pesquisa, Ciência e Tecnologia visando, ao lado das empresas de Softwares, Hardwares, Games, Startups, Mídia Digital, Audiovisual, Cultura e Economia Criativa para produzir Inovação de ponta, negócios e atração de empresas e projetos com esses fins, gerando novo tempo de fomento para a cidade.

Conforme dados comprovados, a Proposta se enquadra dentro da prioridade do Desenvolvimento Sustentável de
João Pessoa, Capital que se encontra tendo Recife, Campina grande e Natal cercando-a e
exigindo que se insira entre os principais Polos de Inovação Tecnológica uma vez que está fora há décadas, daí a importância do centro de Estudos, Inovação e Negócios – Professor Lynaldo Cavalcanti.

Registre-se ainda que a Proposta se enquadra ainda dentro das projeções de
investimentos do BID em João pessoa, uma vez que estará buscando implementar novas
vocações econômicas.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS – A Proposta do ACUÑA para o Polo Digital liderado então pelo CEEI – Professor Lynaldo Cavalcanti pontua dados detalhados para o Polo Digital , Cultura e Economia Criativa no Centro Histórico:

– fazer do Centro Histórico a maior referência de novos negócios da Capital paraibana investindo nas micro, pequenas e médias empresas, ser VANGUARDA
na Inovação e atração de grandes empresas da área.

– incentivar a criação e desenvolvimento de startups, micro e pequenos negócios nas áreas afins, e negócios de economia criativa

– criar um espaço de convívio onde se concentrem e desenvolvam interesses

– estruturar o espaço com instalações físicas para viabilizar a utilização deste pelas entidades e empresas interessadas.

– fomentar e incentivar a cultura paraibana

– construir uma nova vocação econômica

– abrigar as novas gerações de Startups

– fomentar a instalação da música erudita e instrumental no Centro Histórico, em especial nas Igrejas Barrocas com universitários do Curso de Música da UFPB

– Instalar escritório do EMBRAPII, do IFPB, no Centro de inovação

LISBOA COMO REFERÊNCIA – O Secretário de Educação, Claudio Furtado, escolheu de modo próprio sem dialogar com o ecossistema local adotar Barcelona como parâmetro ignorando que mais próximo da realidade de João Pessoa está a cidade de Lisboa, capital de Portugal, com valores universais de HUB de Startups de vanguarda e língua mais próximas da iniciativa pessoense.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você