Política

João Azevêdo fala da importância do cumprimento das medidas restritivas: “sem a participação da população, será impossível vencer essa guerra”

Decreto de número 41.053 estabelece medidas para conter a disseminação do coronavírus e evitar aglomerações no território paraibano.

23/02/2021


O governador da Paraíba, João Azevêdo

Da redação/Portal WSCOM

O governador João Azevêdo publicou na tarde desta terça-feira (23) uma edição suplementar do Diário Oficial do Estado (DOE), de número 41.053, em que estabelece medidas para conter a disseminação do coronavírus e evitar aglomerações no território paraibano. Dentre as ações que devem vigorar entre os dias 24 de fevereiro e 10 de março está o toque de recolher das 22h às 5h nos municípios com bandeiras vermelha e laranja.

O gestor estadual falou da importância do cumprimento das medidas publicadas no DOE. “Nós queremos que a economia continue funcionando, entretanto, é fundamental que a gente dê um choque nesse momento, durante essa quinzena, na redução da mobilidade urbana, para que a gente tenha reflexo de números positivos mais a frente”, pontuou o governador.

João Azevêdo ainda anunciou a abertura de mais 91 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e de enfermaria até o dia 8 de março. “O governo do Estado está fazendo o seu papel com a abertura até oito de março de mais 91 leitos, sendo 49 de UTI, e 42 leitos de enfermaria nas diversas regiões do estado. É a resposta que o estado pode dar, entretanto, sem a participação da população, será impossível vencer essa guerra.”

De acordo com boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde, nessa segunda-feira (22), a Paraíba contabiliza, até o momento, 213.227 casos da Covid-19 e 4.379 óbitos provocados pelo vírus. A ocupação de leitos de UTI é de 76% e de enfermaria, 57%. Na Grande João Pessoa, o percentual de UTIs ocupadas chega a 90%. No Sertão, a ocupação é de 94%.

“Nós sabemos que estamos no pior momento dessa pandemia. O surgimento de novas cepas, a contaminação sendo muito rápida provocada por essas novas cepas, a vacina que ainda chega lentamente, e é a verdadeira arma para enfrentar, essa situação, ou seja, esse é o quadro que nós estamos vivendo, e diante disse precisamos realmente ter consciência, e a participação da população é fundamental pra gente vencer essa guerra”, enfatizou o governador da Paraíba.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você