Brasil & Mundo

Israel anuncia novo lockdown em meio à campanha de vacinação

Israelenses não poderão se afastar a mais de um quilômetro de seus domicílios e a maioria do comércio será fechada.

24/12/2020


Imagem ilustrativa

G1



As autoridades israelenses anunciaram na quinta-feira (24) um terceiro lockdown de pelo menos duas semanas para conter o aumento das contaminações pelo novo coronavírus, alguns dias após o lançamento de uma campanha de vacinação nacional contra a Covid-19.

“Um confinamento geral será imposto a partir de domingo 27 de dezembro, às 17 horas, por duas semanas”, indicou o gabinete do primeiro ministro Benjamin Netanyahu em um comunicado. Esta medida poderá ser prolongada por duas semanas se o limiar de 1.000 novos casos diários for ultrapassado, de acordo com o documento.

Segundo as novas regras, os israelenses não poderão se afastar a mais de um quilômetro de seus domicílios e a maioria do comércio será fechada, mas entregas serão permitidas. Os setores profissionais que não recebem público devem conservar 59% do pessoal em seus locais de trabalho. Também será permitido sair de casa para se vacinar e as escolas permanecerão abertas.

Após uma primeira quarentena nacional no primeiro trimestre de 2020, as autoridades impuseram uma segunda em setembro, quando o país teve a taxa de infecções mais alta do mundo. Após uma queda, as contaminações voltaram a subir. Israel conta atualmente 385.022 casos de Covid-19 e 3.150 mortes, para uma população de 9 milhões de habitantes.

Variante e endurecimento das medidas sanitárias

Na quarta-feira (23), o governo israelense confirmou quatro casos da variante do vírus que surgiu no Reino Unido. Nesta semana, foi proibida a entrada no país de pessoas provenientes da Inglaterra, da Dinamarca e da África do Sul, onde uma outra variante do coronavírus foi detectada.

O governo também endureceu as medidas sanitárias e impôs uma quarentena obrigatória a todos os viajantes que chegarem a Israel. O anúncio da quarentena ocorre e meio à campanha de vacinação contra a Covid-19, lançada no país na segunda-feira (21).



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.