Economia

Impactos do Covid-19 sobre o setor automobilístico

30/07/2020


Portal WSCOM

Por Cássio da Nóbrega Besarria,  Breno da Silva Araújo Pereira, Diego Pitta de Jesus, Flávio Macaúbas Torres Filho, Rennan Kertlly de Medeiros, Wellington Charles Lacerda Nobrega

 

O mercado automobilístico é responsável por uma importante parcela do dinamismo econômico nos setores industrial e de serviços no Brasil. No primeiro caso, a produção dos automóveis gera empregos e renda na localidade ao qual está implantada, bem como nas cidades circunvizinhas. No segundo, diversos ramos da cadeia produtiva, de praticamente qualquer produto ou serviço, utiliza de transporte e logística automotiva, que em parte é suprida e operacionalizada por uma frota de veículos ditos “pesados” (os caminhões) na forma de fretes ao setor industrial e por veículos “leves” (motocicletas e automóveis) nos serviços de delivery, táxi, entre outros.

 

Assim como outros ramos da atividade econômica, o mercado automobilístico sofreu impactos em virtude da pandemia do COVID-19 e das medidas tomadas no combate a esta. De forma geral, houve uma forte redução no emplacamento de veículos novos, um termômetro para as vendas de carros, principalmente nos meses de abril e maio, período inicial das medidas de proteção.

 

EVOLUÇÃO DA FROTA DE VEÍCULOS

 

Em junho de 2020, segundo dados do DENATRAN a frota de veículos paraibana atingiu a marca de 1.374.457 veículos, composta por veículos como automóveis, caminhões, motocicletas e outros, uma frota 112% maior do que a computada em junho de 2010, no mesmo período, o número de motocicletas cresceu 145% na Paraíba.

 

Diferentemente do restante do país, na Paraíba e no Nordeste as Motocicletas (e veículos similares) possuem parcela mais representativa na frota de veículos, 45,25% e 44,30% respectivamente, enquanto no Brasil as motos representam cerca de 27% dos veículos. A nível nacional o tipo de veículo mais comum são os automóveis, representando aproximadamente 54% dos veículos, já na Paraíba e no Nordeste este percentual é de aproximadamente 40%. O município paraibano com o maior percentual de motocicletas em sua frota é a cidade de Bom Sucesso, com 79,14% da frota municipal sendo composta por motocicletas e similares.

 

EMPLACAMENTOS DE VEÍCULOS NO BRASIL

 

De acordo com a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), o número de emplacamento de veículos no mês de junho deste ano foi de 194.354. Esse valor reflete uma redução de 34,87% em relação a janeiro de 2020. Essa forte redução não tem relação com a sazonalidade do período, pois quando comparado ao mesmo período do ano anterior (junho de 2019) o número de emplacamentos atual é 44,38% inferior. Então, a explicação principal da redução passa pela pandemia do coronavírus. Além disso, o comportamento da série de número de emplacamento de veículos em 2020 é anormal. O gráfico mostra que a partir do mês de março houve uma queda abrupta da série, que coincide com o início da pandemia, chegando ao valor mínimo de 89.692 emplacamentos no mês de abril. Entretanto, o número de emplacamentos voltou a subir em maio e continua em alta até o último valor em junho.

 

 

ANÁLISE FROTA VEICULAR

 

Com relação ao mercado de veículos novos na Paraíba para o atual mês de julho (até o momento), a motocicleta POP 110i é líder de vendas, seguida de outra motocicleta, a CG 160. Por outro lado, no que diz respeito aos modelos de automóveis 0 km mais comercializados para o mesmo período, o ONIX e o SUV T-CROSS são campeões de vendas, nessa ordem. A procura por veículos está diretamente ligada ao crescimento de novos habilitados. Assim, outro destaque é a evolução de condutores paraibanos desde os anos 2000. Por exemplo, o número de habilitados do sexo feminino e masculino cresceu 370% e 170% até 2019, respectivamente. Atualmente, 72% dos condutores são do gênero masculino e 28% do sexo feminino.

 

 

 

 



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.