Política

Igualdade racial: vereador defende desmembramento de coordenadoria municipal em João Pessoa

Marcos Henriques (PT) citou vários exemplos de racismo estrutural que precisam ser combatidos


23/11/2023

Imagem: Reprodução

Portal WSCOM



A criação da Coordenadoria Municipal de Promoção da Igualdade Racial na estrutura da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) foi defendida pelo vereador Marcos Henriques (PT), durante a sessão ordinária da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP). O projeto que propõe o desmembramento da Coordenadoria Municipal de Promoção da Cidadania LGBT e da Igualdade Racial foi enviado pelo Executivo e encontra-se em tramitação na Casa Napoleão Laureano.

“Essa é uma reivindicação histórica do movimento: desmembrar as coordenadorias de promoção da cidadania LGBT e da Igualdade Racial. O racismo é uma forma de violência criada pelo capitalismo, e justificada pelos ideais de dominação de uma raça sobre outra. O racismo estrutural se apresenta em vários campos da sociedade, como os econômicos e políticos”, definiu Marcos Henriques.

O parlamentar citou alguns exemplos de racismo estrutural. “Nos aspectos econômicos, por exemplo, vemos desigualdade no sistema tributário brasileiro. Dados do Ipea de 2021 revelam que a população negra recebe salários menores, mas mesmo assim é a população que mais paga impostos. Na questão política, vemos desigualdade na ocupação de cargos. Além disso, 87% das mortes em decorrência de conflito policial são de negros e negras”, exemplificou.

Marcos Henriques afirmou que o Brasil tem um déficit político com esse segmento, e elogiou as pessoas que discutem de maneira coletiva uma pauta tão importante. “Parabenizo todos que se empenharam para termos um espaço para debater a questão racial. Convido todos a participarem da votação desse projeto de criação da Coordenadoria Municipal de Promoção da Igualdade Racial na próxima terça-feira, dia 28. São espaços como esses que vão construir políticas públicas que venham a diminuir as desigualdades. Somos todos humanos e ninguém merece sofrer com discriminações”, concluiu, lembrando ainda que novembro é o mês da Consciência Negra, de combate ao racismo.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
// //