Educação

Grupos de pesquisas receberão R$30 milhões para desenvolver projetos de tecnologia

01/06/2020


Portal WSCOM

O número de grupos de pesquisa de universidades federais credenciados pela Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), com apoio do Ministério da Educação (MEC), subiu para 17. Os novos selecionados, que foram 11, receberão cerca de R$ 30 milhões para investir em projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) para atender demandas do setor industrial. 

Os novos grupos se juntam a seis grupos já credenciados e vinculados às universidades federais (UFRGS, UFSC, UFRJ, UFMG, UFU, UFCG). Com a iniciativa, cerca de 530 estudantes serão beneficiados. 

De acordo com o MEC, os projetos serão desenvolvidos nas áreas de Energias Renováveis, Fibras Florestais, Sistemas Embarcados, Geotecnologia e Agronegócio, Inteligência Artificial, Computação Industrial, Materiais Avançados/Nanomateriais, Computação Industrial, Robótica Inteligente, Sistemas Veiculares e Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC).

“Para cada unidade credenciada, a Embrapii assegura à indústria que aquele centro de pesquisa possa atuar como seu centro de P&D ou completar as atividades do centro que a empresa já possua”, destaca o diretor-presidente da Ebrapii, Jorge Guimarães.

Para o secretário de Educação Superior do MEC, Wagner Vilas Boas, o credenciamento das novas unidades pela Embrapii mostra o comprometimento do Ministério em incentivar a inovação nas universidades federais. “A Embrapii é referência no setor de inovação e tecnologia industrial. Nós queremos trazer essa experiência para dentro das universidades”, afirma.

Além de estimular a interação entre o setor produtivo e os centros acadêmicos, o credenciamento de unidades em universidades federais também visa capacitar profissionais para atuação em projetos de PD&I na indústria.

Assim, o programa prevê a participação de estudantes de graduação e pós-graduação  em projetos Embrapii, no modelo hands-on, que permite o aprendizado a partir da experiência real, atuando em projetos de pesquisa aplicada com a indústria. 

 

*Com informações do MEC

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Maurilio de Almeida

Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.