Política

Governadores querem definir a data nacional de início da vacinação em reunião nesta terça com Pazuello

Os chefes de executivo estaduais querem definir a data para início de vacinação em todo o país, com começo simultâneo do programa nacional de imunização em todos os estados.

11/01/2021


Portal WSCOM com G1/Blog do Valdo Cruz



Os governadores do Brasil, incluindo o governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania), participam nesta terça-feira (12), de uma reunião com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.  Os chefes de executivo estaduais querem definir a data para início de vacinação em todo o país, com começo simultâneo do programa nacional de imunização em todos os estados.

De acordo com o governador João Azevêdo, a Paraíba está com todo plano de vacinação e logística de distribuição pronta. “Estamos preparados, assim que a vacina for liberada, a vacinação começa em 24 horas para os grupos prioritários”. Os profissionais de saúde serão os primeiros a serem vacinados, revelou o gestor nesta segunda-feira (11), no programa ‘Fala Governador’, da Rádio Tajabara.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) registrou 523 novos casos da Covid- 19 nesta segunda-feira (11). Agora, a Paraíba totaliza 173.299 casos confirmados da doença. Também foram confirmados 16 novos óbitos desde a última atualização, sendo 08 deles nas últimas 24h. Com isso, o Estado totaliza 3.824 mortes. “Peço à população que tenha um pouco de paciência. Faltam poucos dias para a gente começar a vacinação”, frisou o governador.

João Azevêdo está confiante em relação à reunião com o MS e seus representantes e acredita que até o fim deste mês de janeiro deve estar começando a vacinação no Estado. “Amanhã teremos uma reunião com o Ministério da Saúde onde provavelmente será apresentado o cronograma de distribuição de vacinas. A partir desse cronograma, nós iniciaremos aqui, com a chegada da vacina na Paraíba, e em 24 horas queremos que essa vacina esteja distribuída pelos pontos principais para começar a vacinação”, declarou o gestor.

Outro participante da reunião o governador do Piauí e presidente do Consórcio Nordeste, Wellington Dias (PT), disse ainda que irá propor, na reunião desta terça-feira, a criação de um observatório para acompanhar os casos de mutação do coronavírus no Brasil.

“Já vamos ter um observatório para acompanhar as pessoas vacinadas depois da imunização, e agora estamos propondo também um observatório para acompanhar a mutação do vírus. Isso é importante para termos trabalhos de prevenção”, afirmou Wellington Dias, em entrevista ao comentarista político, Valdo Cruz, da GloboNews.

Aprovadas as vacinas da Astrazeneca e Coronavac, o governador avalia que o país terá doses suficientes para, até abril, cumprir o programa de imunização em sua primeira etapa, voltada para os grupos de risco. Nos cálculos do governador, esses grupos envolvem cerca de 42 milhões de pessoas.

“Haverá uma primeira fase dentro da primeira etapa de vacinação, que deve ocorrer em janeiro e fevereiro, e as cerca de 8 milhões de doses que já estão garantidas serão suficientes para atender esse público, que inclui, por exemplo, profissionais de saúde e idosos acima de 75 anos”, informou Dias.

Na reunião desta terça, por videoconferência, além do ministro e dos governadores, devem participar representantes da Anvisa, da Fiocruz, do Instituto Butantan, do Supremo Tribunal Federal (STF), Câmara dos Deputados, Senado e dos conselhos nacionais de secretários estaduais e municipais de saúde.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.